O site da revista V Magazine escreveu um artigo incrível sobre o clipe de ‘Love’, confira

por / terça-feira, 21 fevereiro 2017 / Publicado emNotícias

Post

Logo após o lançamento do clipe de ‘Love’, o site da revista norte-americana V Magazine publicou um excelente artigo sobre o novo trabalho audiovisual de Lana. Vale a pena conferir:

Love, de Lana Del Rey: um profundo mergulho em um território totalmente novo

Um olhar mais próximo no single mais instigante de Lana ate hoje.

Lana Del Rey nos surpreendeu na ultima semana lançando seu novo single “Love” (depois de um triste vazamento na internet). A faixa reúne produtores conhecidos de longa data por Lana como Rick Nowels e Emile Haynie, assim como o famoso produtor Benny Blanco, para criar uma balada rejuvenescedora que lembra algo da época do CD Born to Die. Os estalos e estrondos dessa paisagem sonora de um grande retorno, e seus ricos e poderosos vocais elevam a uma produção estrondosa que e bem vinda mais do que nunca.

Apesar da atmosfera conhecida, “Love” mostra uma grande transição em relação ao reportório de Lana Del Rey. Ao invés de invocar experiências do seu passado ou descrever relacionamentos de grande perigo, luxúria e desespero, Lana se inspira na coisa mais consistente da sua carreira, seus fãs. “Love” toca como uma melancólica e emocionante carta para seus fãs, quando ela começa , “Olhe para vocês crianças com suas musicas antigas /Vindas por meio de satélites enquanto viajam / Vocês fazem parte do passado, mas agora são o futuro / A travessia dos sinais pode ficar confusa.”

Ela sabe que a juventude de hoje em dia está na encruzilhada em suas vidas, tendo grandes metas, mas sem a certeza de como alcançá-las. Este fato é ainda mais complicado pelo nosso clima político atual, com as questões ainda pairando sobre o ar de como será o nosso futuro. No entanto, são os sonhos e um persistente sentimento de amor e admiração que nos mantêm em frente à adversidade, exatamente o que Lana passa em sua música. Ela transforma “jovem” e “no amor”, dois sentimentos que ela muitas vezes canta no sentido literal, em mantras poéticos que adotamos para continuar vivendo. Isso se torna mais evidente quando ela muda seus pronomes de “você” para “eu” no coro final, mostrando que ela também está passando pela mesma merda.

Lana visa o conforto com o seu próximo álbum de estúdio, e afirmou em um comunicado de imprensa, “eu fiz meus primeiros quatro álbuns para mim, mas este é para os meus fãs e sobre onde eu espero que todos nós estamos indo.” “Love” sinaliza esta intenção, Proporcionando a fuga romântica que se tornou habitual da música de Lana enquanto ao mesmo tempo se pensa no nosso lugar ao mundo. Talvez o Born to Die tenha algo parecido com isso e o que é mais reconfortante do que algo tão familiar?

No entanto, “Love” é talvez mais enraizada na realidade do que qualquer musica dela até agora. Embora a canção não seja intrinsecamente política, é difícil não vê-la como um esforço humanitário em resposta à turbulência que a eleição causou. Isso nos leva de volta aos debates eleitorais, como Lana nos incentivou a ficarmos informados através de seu Instagram, mas nunca mostrou apoio a um candidato. Nesse sentido, seu desejo de cuidar de seus fãs tem sido a parte principal do seu processo criativo desde o começo.

O segundo verso pode ser visto como uma implicação muito sutil de uma significativa revolução “Olha para vocês crianças, vocês sabem que vocês são os mais legais / O mundo é de vocês e vocês continuam não aceitando / Parece tanto que poderiam sentir a tristeza/Mas isso não significa que deveriam abusar dela.” Ela ainda está otimista para o nosso futuro, apesar da incerteza assustadora e a loucura que o envolve, e ela está determinada em nos manter indo para frente para que possamos fazer as coisas certas para nos mesmos e para os outros.

Talvez nada encapsule seu objetivo de tranquilizar mais do que os refrões finais de “Não se preocupe, querido…” quando a canção vai acabando, deixando-nos com nada além de esperança em nossos corações. E às vezes, essas três palavras simples são tudo o que você precisa para conseguir passar por qualquer coisa, especialmente quando eles vêm da voz suave de Lana. “Love” sinaliza uma era emocionante que esta por vir para Lana Del Rey, uma em que explora o território novo e ao mesmo nos dando as confortáveis e familiares que fez a gente se apaixonar originalmente. Dando para a gente o terapêutico álbum que tanto precisamos.

Por Jake Viswanath
Traduzido por Marcos Almeida

Redação LDRA
Down on the west coast. They got a saying...
  • Wesley

    No dia que a música saiu eu a recebi como um tapa, porque tinha acabado de ter a minha primeira crise de ansiedade. Eu desmoronei ao ouvir a música. Ela acertou em cheio, ao menos para mim.

TOPO