Confira o que os principais sites e revistas especializadas estão comentando sobre ‘High By The Beach’

por / terça-feira, 11 agosto 2015 / Publicado emCríticas, Notícias

IMAGEM POST LDRA

Com o esperado lançamento do single ‘High By The Beach’, o mundo da música entrou em polvorosa nessa segunda-feira (10/08) por conta do novo som de Lana Del Rey! Atingindo os trending topics do Twitter com seu lançamento e a divulgação da prévia do videoclipe, a canção já é #1 no iTunes de países ao redor do mundo todo, incluindo Brasil e EUA!

Então venha ouvir a música e confira os artigos traduzidos sobre o que as revistas e sites mais importantes da música têm dito sobre a faixa (muito elogiada, podemos acrescentar) — apesar da ligeira confusão entre artigos de que “Honeymoon” seja o terceiro ou quarto álbum de Del Rey, já que alguns consideram “Born to Die: The Paradise Edition” seu segundo LP.

Billboard: Lana Del Rey fica ‘Chapada na Praia’, ouça sua nova faixa!

Lana compartilhou o áudio oficial do seu previsivelmente ensolarado single ‘High By The Beach’ depois de oferecer uma prévia na semana passada. Quer ser levado pela areia para uma novo soterramento de “Honeymoon“? Ouça a música!
Ao contrário do fatal ‘Honeymoon’, ‘High By The Beach’ é relativamente otimista e estruturalmente calma, com Del Rey oferecendo talvez a canção mais “radiofônica” de toda a sua carreira. O refrão gira em torno de um salto gloriosamente choroso, enquanto Del Rey cai em alguma sabedoria brilhante própria de si mesma (“Você poder ser um filho da puta malvado/mas isso não faz de você um homem”) ela canta acima de seus sonhadores sintetizadores.
Del rey revelou em janeiro para a Billboard que seu terceiro álbum se chamará “Honeymoon“, e lançou a faixa-título mês passado, após fazer uma turnê esse ano com Courtney Love e Grimmes. Seu segundo álbum, “Ultraviolence“, estreou em 1º lugar no ranking de álbuns da Billboard no verão passado.

Por Jason Lipshutz
Tradução por Marcos Cz

Music.Mic: Lana Del Rey acaba de lançar o single perfeito para o final do verão

Lana Del Rey não é tradicionalmente conhecida por ser o tipo de popstar que alcança grandes hits pops para o verão. Seu último single, ‘High By The Beach’, é o mais perto que ela já chegou disso.
Vazada antes de seu lançamento oficial, que era suposto pra ser nessa segunda de acordo com o Twitter da cantora, a música mistura os distintos vocais etéreos da cantora com batidas trap e sintetizadores eletrônicos. “Tudo o que eu quero fazer é ficar chapada na praia,” ela murmura várias vezes ao longo do refrão. O mantra dela vai ficar grudado na sua cabeça e ele fornece a trilha sonora perfeita pra você saborear os últimos momentos do verão.
E é tudo o que nós queremos. O instrumental de ‘High By The Beach’ é uma das coisas mais contemporâneas que Lana já chegou a cantar. Ela soa perfeitamente em casa em alguma estação de rádio de hip-hop com sua balada sintonizada. Os vocais de Del Rey ainda têm aquela qualidade sussurrada de filme noir, o que mantém a música firmemente no domínio indie. De algum jeito estranho e certeiro ela funciona. E o Twitter tem banhado a música de amor durante toda a manhã.
A música é o segundo single que Del Rey lançou para seu quarto álbum, “Honeymoon“, o qual deve sair em setembro. Ela ainda não desvendou o mistério do dia específico, mas nem precisa. As músicas que ela já lançou devem nos ajudam a saborear as últimas combustões do romance de verão, e o resto do álbum irá nos fazer bem no outono.

Por Tom Barnes
Tradução por Raphaella Paiva

Time: Lana só quer ficar chapada na praia em seu novo single.

Nos poderíamos estar indo bem com Agosto até agora — mas aqui, enrolada na areia com o baseado na mão, está Lana Del Rey, lembrando a você que o verão não termina até que ela cante. A cantora embebe sua nova canção em uma névoa de marijuana, mas graças a sua ruidosa batida e seu gancho vertiginoso — “Tudo o que eu quero fazer é ficar chapada na praia / chapada na praia, chapada” — o último single de seu próximo álbum “Honeymoon” e a música mais pop que Lana tem há um bom tempo.
‘High By the Beach’, que chega antes de sua programada estreia na Apple Music, também parece se separar de seus típicos romances torturantes, em troca de algum tempo sozinha ao sol. “Você pode ser um filho da puta malvado ,mas isso não faz de você um homem,” Lana canta, “Agora você é só mais um dos meus problemas porque você saiu do controle”. Em outras palavras: Cara, don’t kill my vibe.

Por Nolan Feeney
Tradução por Marcos Cz

V Magazine: Lana Del Rey está nos contando sua própria história e, naturalmente, isso soa como um sonho

Hoje na BBC Radio 1 e na rádio Beats 1 da Apple Music, Lana Del Rey estreou oficialmente a segunda faixa de seu próximo álbum, “Honeymoon“. A música vazou na noite da última sexta-feira. ‘High By The Beach’ é uma Lana atraente em sua melhor forma — é uma história romântica de um amor torturado, e até inclui uma surpreendente batida trap. “Surpreendente” pode não ser inteiramente verdade, já que a cantora disse para os fãs esperarem canções com uma “energia de batida suja” e algumas inspiradas músicas por “passeios noturnos ao som de Miles Davis”. Enquanto ‘Honeymoon’ soa como uma reminiscência do “Ultraviolence“, ‘High By The Beach’ mostra uma artista evoluída, deixando o próximo álbum ainda mais atraente.
Ainda são poucos os detalhes sobre o álbum, mas Del Rey abre a entrevista ao Beats 1 com Zane Lowe sobre continuar a fazer música: “Para mim, o planejamento disso, o encanto disso, é a bênção de ser capaz de contar sua própria história de vida, e poder ser testemunhado, se isso for importante pra você. Eu acho que isso é importante pra todo mundo”.

Por Ian David Monroe
Tradução por Raphaella Paiva

Idolator:  “High By The Beach” de Lana Del Rey

‘High By The Beach’ de Lana Del Rey surgiu à frente de sua data de lançamento, 10 de Agosto. E a sua chegada antecipada não é o único motivo que faz essa faixa de “Honeymoon” ser surpreendente.
Del Rey disse que seu terceiro álbum seria um retorno para o “estilo noir” sentido em seu álbum de estreia em 2012, “Born to Die”, e que sua faixa-título foi, tipo — reflexiva, cinematográfica, ultraviolenta. Não para ‘High By The Beach’. Na verdade tem até um ritmo de hip-hop, ainda que discreto. E enquanto sua voz pouco de destaca por cima dos sussurros ao longo da música, sua letra é atipicamente energética, como se ela tivesse encorporado o recente evangelho da Rihanna. Essa arrebatadora cantora não precisar do seu dinheiro ou das suas besteiras: “Você poderia ser um filho da puta malvado, mas isso não faz de você um homem”.
Tamanha mudança não deveria ser completamente inesperada por parte de Del Rey, entretanto. Ela não é uma rapper, mas ela já foi inspirada pelo hip-hop antes. Ela costumava escutar Eminem e colaborou com A$AP duas vezes antes. E mais, muitos anos atrás, algum gênio criou “Born Ready to Die”, um álbum de mashup entre Lana Del Rey e Notorious B.I.G no qual “Juicy” se reinventa como um tema de James Bond.

Por Christina Lee
Tradução por Marcela Oliveira

Cosmopolitan: Ouça a nova música cativante de Lana Del Rey, ‘High By The Beach’

Nessa segunda-feira, Lana Del Rey lançou ‘High By the Beach’, a próxima música do suposto quarto álbum, “Honeymoon”. Lana novamente conseguiu superar a si mesma nessa discreta (mas ainda assim cativante) melodia, cantando sobre um amor que dá errado ao lado do uso de drogas. Como o título diz, é sobre ficar chapada na praia, mas também é sobre um homem que simplesmente não aguenta todo o glamour e tristeza que é a Lana. “A verdade é que eu nunca caí nas suas besteiras, enquanto você fazia um tributo pra mim”, ela canta, depois identifica seu amante com “Só mais um dos meus problemas”. Você precisa de algum gelo depois dessa fritada, meu filho?
No começo desse verão, Lana compartilhou ‘Honeymoon’, uma música muito mais recordativa do som melancólico que ela aperfeiçoou em “Ultraviolence”. De volta a maio, Lana contou a uma multidão em seu show que seu novo álbum sairia em setembro, embora essa notícia ainda não tenha sido oficialmente confirmada pela sua gravadora.

Por Eliza Thompson
Tradução por Marcela Oliveira

Sterogum: Lana Del Rey – “High By The Beach”

Há alguns dias, Lana Del Rey anunciou que ‘High By The Beach’, o segundo single de seu próximo álbum “Honeymoon“, seria lançado na segunda-feira. Mas agora a música já vazou online, um pouco mais cedo do que se esperava. A faixa-título do álbum foi uma canção triste, etérea e cheia de orquestra e, em comparação, a confiante e poderosa canção ‘High By The Beach’ soa positivamente divertida — ainda é uma música da Lana Del Rey, obviamente, então há certa lentidão e aquela sensação etérea, mas as cordas foram substituídas por teclados abafados e sons de sintetizadores, com Lana murmurando “Tudo o que eu quero fazer é ficar chapada na praia, chapada na praia, chapada” acima da batida eletrônica. Essa é provavelmente a coisa mais “chiclete” que ela já fez nos últimos tempos, e há uma refrescante frase de independência como “A verdade é que eu nunca caí nas suas besteiras” e “Eu não preciso de dinheiro, dinheiro/ Para conseguir o que eu quero/ Luzes, câmera, ação/ Eu vou conseguir sozinha.”

Por Peter Helman
Tradução por Raphaella Paiva

The Metropolist: Crítica: Lana Del Rey – High By The Beach

0000000
Lana Del Rey retorna a um território familiar em sua nova música ‘High By The Beach’, o segundo single lançado para o seu próximo álbum “Honeymoon“. Sendo Lana sonoramente reconhecida por suas performances teatrais, ‘High By The Beach’ prova que Lana não abandonou seu som profundo, mas, ao invés disso, ela o reinventa na original faixa.
Abrindo com harmonias delicadas, os etéreos vocais de Lana começam a cantar as palavras com ressentimento — “Garoto, olhe pra você/olhando pra mim/Eu sei que você sabe como me sinto/amar você é difícil/estar aqui é ainda mais” canta Lana acima da batida de sintetizadores. Então eles transcendem pra um pré-chorus que flerta com a sedução antes do clímax que possui um refrão no melhor estilo trap. Dominando um som pesado {de um jeito diferente de ‘Honeymoon’} com notas alternadas, Lana canta as letras sobre desejo e rompimento. “Tudo o que eu quero é ficar chapada na praia/chapada na praia/chapada”. A música então cresce, com Del Rey canalizando sua Nancy Sinatra gângster interior — “A verdade é que eu nunca caí nas suas besteiras/enquanto você fazia um tributo pra mim/porque tudo o que eu sempre quis era ficar chapada na praia/chapada, baby/tchauzinho”.
A conclusão também é um ponto alto, possuindo a reminescente melodia assombrosa que ela já usou no álbum anterior. A faixa tem sucesso ao reintroduzir uma das vibes aventureiras mais notáveis em seu álbum de estreia; enquanto ainda possui um ar de progressão. Experimentando sons nunca antes usados, “Honeymoon” irá servir como um notável equilíbrio do que assumimos ser o que Lana quer alcançar.
Lana {cujo nome real é Elizabeth Grant} lançou seu álbum de estreia “Born to Die” em 2012. Desde então, a nova-iorquina tem ganho um vasto acompanhamento internacional com seu lançamento; passando a vender mais de cinco milhões de cópias mundialmente. O ano de 2014 viu o surgimento do segundo álbum “Ultraviolence“; e com isso, todo um novo som. Trocando a alta produção e as batidas que flertam com estilos de rap {e que fizeram os fãs criarem o termo ‘Lana hip hop’} pela introdução de uma vibe mais sombria e melancólica, UV foi uma mudança significativa.
Com BTD recebendo favoráveis tipos de críticas, é um pensamento comum entre os fãs de que a cantora tentou ambicionar uma aclamada crítica com seu segundo álbum produzido por Dan Auerbach. Apesar disso isolar metade de sua fã base — há os que amaram o estilo sonoro do primeiro álbum, com a mudança do seu segundo; o que deu a ela uma nova quantia de seguidores, com os novos fãs que exclamam UV como sendo o verdadeiro ambiente de Lana. ‘High By The Beach’ e o antecessor ‘Honeymoon’ parecem convergir os sons presentes tanto no primeiro quanto segundo álbum.
Independente do seu estilo preferido de Lana, nós acreditamos que um som sensual nunca erra. Refrescantemente diferente de qualquer coisa em voga hoje no clima musical, todas as canções de Lana excedem sua criatividade. Seu álbum “Honeymoon” está programado para sair no próximo mês, mas a data de lançamento ainda está para ser confirmada.

Por Nieem Tsekiri
Tradução por Raphaella Paiva

EW: ‘High By The Beach’, de Lana Del Rey, é sua música mais “chiclete” até agora

Lana Del Rey lançou o próximo single de seu quarto álbum, “Honeymoon“, e ele é uma meditação divertida sobre descartar as pessoas extras da sua vida e, literalmente, ficar chapada na praia. “Tudo o que eu quero fazer é ficar chapada na praia, chapada na praia, baby, tchauzinho”.
Ela joga um velho amante pra fora do ônibus (ou dentro do oceano) e canta, “Você pode ser um filha da puta malvado, mas isso não faz de você um homem. Agora você é só um dos meus problemas porque você saiu do controle/ Nós não iremos sobreviver, nós estamos afundando na areia”.
‘High By The Beach’ oficialmente foi lançada nessa segunda através da Apple Music, mas ela vazou online alguns dias antes. Enquanto conversava com Zane Lowe na rádio Beats 1, ela disse que a faixa é uma das últimas do álbum. “Ela tem uma vibe meio Andrews Sisters,” ela disse. “A harmonia quase soa como se fosse de um tom só. E ela tem esse som estranho de drone também, mas com essa batida ela ganha um aspecto meio trap”.
Com percussões surpreendentemente influenciadas pelo hip-hop, órgãos estranhamente misteriosos, e batida eletrônica de sintetizadores, ela é facilmente a música mais “chiclete” de Del Rey até hoje.

Por Jessica Goodman
Tradução por Raphaella Paiva

Vulture: Lana Del Rey retorna com sucesso as suas influências hip-hop

‘High By The Beach’ de Lana Del Rey vazou dois dias atrás da sua première programada para hoje na Beats Radio 1 (sua gravadora tem tirado os vazamentos diligentemente).
O segundo single do futuro álbum de Lana Del Rey, ‘High By The Beach’, segue a faixa-título do seu novo LP, ‘Honeymoon’, uma balada macabra que sugere que ela tenha encontrado sua ligação com a orquestra das contribuições que ela fez para as trilhas sonoras de Tim Burton e Luhrmann.
‘High By The Beach’, no entanto, indica outra coisa: que Lana Del Rey não abandonou toda a sua coisa “Nancy Sinatra Gângster“, e ela pode não querer fazer você encolher mais.
Depois da resposta morna para o hip-hop “Born To Die” de 2012, LDR usou “Ultraviolence“, do ano passado, para a reabilitação da sua credibilidade através do pop cinematográfico de um torturado-rock-encontrando-cantora-em-chamas.
Com o Dan Auerbach de The Black Keys produzindo o álbum e uma banda de Nashville trazendo LDR de volta, “Ultraviolence” foi de muitas formas uma repaginação da música dos anos 60 em que rock psicodélico, tietes, Wall of Sound, o Velvet Underground de Phil Spector, e Nina Simone se fundiram sob sua voz mais madura.
A nova direção parecia funcionar: Del Rey passou de uma fraude em uma coroa de flores para uma heroína alt-pop com um Top 20 hit (“West Coast”). A crítica de “Ultraviolence” é o ápice de uma artista pop usando rock ‘n roll como abreviação de autenticidade, algo que na carreira da Lana é necessário.
Pra onde Lana irá agora é o que vai nos dizer que tipo de artista ela realmente é. Em janeiro, ela disse a Billboard que “Honeymoon” era mais semelhante a “Born to Die” e seu EP de 2012, “Paradise“, do que o “Ultraviolence“, mas também disse que ele tem um “estilo noir”. Havia pouco espaço para o som de inspiração hip-hop de rua, destaques em início de carreira como ‘This Is What Makes Us Girls’ e ‘Diet Mountain Dew’ e “Ultraviolence“. Mas ‘High By The Beach’ sugere que LDR não é feita com elementos de hip-hop. Em vez disso, ela combina todos os seus estilos passados para este pedaço de perfeição sonora autodepreciativa, que funciona como seu distanciamento de um ex-amante. Apesar de atingir o pico niilista de ‘Sad Girl’, ‘High By The Beach’ funciona como um single pop-trap relaxante que você pode colocar pra explodir no rádio assim como um revés de ‘Bitch Better Have My Money‘. “Você pode ser um filho da puta malvado/ Mas isso não faz de você um homem”, ela meio que sussurra em cima de um órgão em um dos versos da canção.

Por Jillian Mapes
Tradução por Jady Emanuelle

NME: O novo single de Lana Del Rey, ‘High By The Beach’, é a sensual música que seu verão estava esperando

Ela pode ter completado 30 anos esse ano, mas o novo single de Lana Del Rey mostra que tem os hábitos de uma adolescente particularmente arredia. Uma mistura de órgãos, batidas de ondas contra a areia e gritos de gaivotas antes de Lana suspirar e se fazer de membro perdida do Odd Future [grupo de hip-hop], logo afirmando: “Tudo o que eu quero fazer é ficar chapada na praia”. A última amostra do novo álbum de Lana, “Honeymoon” — rumores de que será lançado em setembro — mostra fortemente as batidas de blues que já são sua marca, adicionando algumas instáveis batidas de trap dentro de sensuais estilos “drogados”, como uma versão feminina do Drake. Densamente produzido, seus vocais são dobrados e quadriplicados, fazendo tudo soar como uma gangue de quatro Lanas cantando uma serenata para o ouvinte, como o som de sereias, e o seduzindo para uma sepultura aquática — ou, pelo menos, um baseado na areia.
Ainda apaixonada por bad boys, ‘High By The Beach’ mostra a nova-iorquina falando mal do objeto de suas distorcidas afeições, arremessando insultos como “você é um filho da puta malvado — isso não faz de você um homem”, assim como casualmente tenta chutar esse azarado cara que está em seu caminho. “Agora você é só um mais um dos meus problemas”, ela continua, falando sobre suas mentiras antes de se retirar para o etéreo bridge da música.
Apesar de Lana antes ter dito que seu próximo álbum seria menos “pesado e autobiográfico” do que “Born to Die” ou “Ultraviolence“, essa nova faixa sugere que ela vai continuar em casa como sempre.

Por Leonie Cooper
Tradução por Raphaella Paiva

MusicFeeds: Ouça o novo single de Lana Del Rey que é bastante Lana Del Rey

‘High By The Beach’, segundo single do terceiro LP de Lana Del Rey, “Honeymoon“, vazou antes do lançamento oficial, e ele é tão malvado como era de se esperar de qualquer faixa de LDR.
Enquanto ‘Honeymoon’ foi um caso de orquestra exuberante, essa musica vê LDR voltar ao estilo pop de seu primeiro álbum “Born to Die“, cantando “Tudo o que eu quero fazer é ficar chapada na praia”, ao longo de uma tonta e contundente batida
Está a um milhão de quilômetros de distância da produção de Dan Auerbach, “Ultraviolence“, com estética rock — e provavelmente a coisa mais radiofônica lançada por ela. Não importa o estilo em que ela está se metendo, ela sempre dá um jeito de torná-lo inequivocamente LDR.
Em ‘High By The Beach’ ela canta “A verdade é que eu nunca caí nas suas besteiras” e “você poderia ser um malvado filho da puta, mas isso não faz de você um homem”, ganhando uma nota 11 em atrevimento.
O álbum vai ser lançado em setembro, no entanto, nenhuma data definida ainda. Lana o chamou de “um belo disco retrô-futurístico” e agora que ouvimos ‘High By The Beach’, a declaração convoluta faz um pouco mais de sentido.

Por Sam Murphy
Tradução por Dandara Marangon

MuuMuse: “High By The Beach”: Lana Del Rey relaxa (e fica chapada) e está muito bem, obrigado

Lembram da Lana Del Rey espevitada que certa vez sentou em nossos colos e murmurou em nossos ouvidos: “Hm, você acha que vai me comprar vários diamantes?”? Nossa Lolita cresceu e ela não precisa da sua conta no banco desta vez, muito obrigado.
Lana Del Rey não é um nome sinônimo de “poder”, mas a rainha da ultraviolência claramente está se sentindo e declarando sua independência em ‘High by the Beach’, uma música completamente #unapologetic, cheia de brisa veranil com fumaça de erva, e é o segundo single de seu próximo álbum, “Honeymoon“.
Musicalmente, as coisas estão ficando mais interessantes para LDR: Enquanto a faixa-título ‘Honeymoon’ parecia como uma soneca sombria, ‘High By The Beach’ é um retorno aos refrões pegajosos e à raiz hip-hop de seus primeiros trabalhos em “Born to Die“, trazendo a viagem e o leve trap de ‘Dark Paradise’ e ‘Off To The Races’ à mente — e revitalizando o som que lhe concedeu o título de “Nancy Sinatra gângster” em primeiro lugar.
E “Luzes, câmera, acción” é um tema constante do trabalho de Lana, indo lá atrás a ‘Put Me In a Movie’ de Lizzy Grant.
Enquanto Lana encara a areia através de uma nuvem de fumaça, ela está liricamente mostrando o dedo do meio para seu antigo amor: “Você podia ser um filho da puta malvado, mas isso nãofaz de você um homem”. Ufa! Desculpa por isso, querido. Rihanna, encontramos oficialmente sua nova amiga #420, que manda shades e que está nem aí!
Aliás, por falar nisso: “Não quero mais fazer isso…” Uma referência sutil a ‘Unfaithful’, talvez? Lana Del Rih! (Imagine essa parceria).
A era Honeymoon certamente está provando ser a viagem mais imprevisível de Lana até agora — quero dizer, você viu aquela foto dela com uma arma que parece saída de um filme de ficção científica? — mas ela está indo embora, e não importa se você está a acompanhando ou não.

Por Bradley Stern
Tradução por Lucas Almeida

Rolling Stone: Ouça a nova música de Lana Del Rey embalada por sintetizadores, ‘High By The Beach’

Lana Del Rey está desgastada pela vida e pelo amor em batidas de sintetizadores em seu novo single, único e doce, perto do oceano. “Tudo o que eu quero fazer é ficar chapada na praia / Chapada na praia, chapada,” ela canta no refrão, apoiada por um suave som eletrônico. Lana também ataca com raiva, atacando a um parceiro “Não preciso do seu dinheiro, dinheiro pra conseguir o que eu quero / Luzes, câmera, ação / Eu onsigo sozinha.” É o segundo single da cantora, de seu próximo LP, “Honeymoon“, esperado pra ainda esse ano.
“Começou com o refrão,” disse Del Rey para a Beats 1 com o Zane Lowe sobre a composição da faixa, “Eu estava dirigindo muito pela praia. Esta foi provavelmente uma das últimas no álbum… Mesmo com as harmonias, ela quase soava como um tom só, e com a batida ganha esse estilo trap”.
Mês passado, Del Rey lançou a faixa-título de seu novo álbum e single ‘Honeymoon’, que tem uma abordagem mais orquestral, melodramática. “Nós dois conhecemos o histórico de violência que rodeia você,” ela canta sobre cordas e piano. “Mas eu não tenho medo, não há nada para perder agora que encontrei você”.
A cantora revelou o título do álbum a Billboard, em janeiro. “É muito diferente do último e semelhante ao dos dois primeiros, ‘Born to Die’ e ‘Paradise’,” disse ela, “ele está se desenvolvendo pra algo que eu gosto muito. Eu meio que estou gostando de entrar nessa sensação noir pra esse álbum. Tem sido bom”. Ela também anunciou que “Honeymoon” terá um cover de Nina Simone com ‘Don’t Let Me Be Misunderstood’.
Ano passado, Del Rey lançou um álbum produzido por Dan Auerbach, “Ultraviolence“, e contribuiu em várias baladas luxuosas — ‘Big Eyes’ e ‘I Can Fly’ — para o filme Big Eyes de Tim Burton. Esse ano, Del Rey entrou em turnê com Courtney Love e Grimes para divulgar o LP.

Por Ryan Reed
Tradução por Dandara Marangon

Slant Magazine: Crítica: Lana Del Rey, “High By The Beach”

Depois da balada ‘Honeymoon’ com levada de cordas, de seu álbum homônimo que dava a entender ser um retorno à antiga forma, Lana Del Rey revelou seu carro-chefe, ‘High by the Beach’. Como prometido, a música é mais como o trip-hop de “Born to Die” do que o rock raiz de “Ultraviolence“, com vocais ásperos e claros por cima de uma batida trap ainda mais áspera e clara, e um sintetizador hipnótico. Embora seja um single morno para o padrão do pop atual, letras como “Você poderia ser um filho da puta malvado, mas isso não faz de você um homem”, é facilmente o single mais contagiante de Lana desde ‘Summertime Sadness’ ou pelo menos ‘National Anthem’. Quando ela nos entrega o refrão sincopado, apenas um fio atrás da batida (“A verdade é que eu nunca acreditei nas suas besteiras/Enquanto você fazia um tributo pra mim”), dias de verão cheios de fumaça e preguiça nunca soaram tão doces.

Por Sal Cinquemani
Tradução por Lucas Almeida

Revisão por Raphaella Paiva

Redação LDRA
Down on the west coast. They got a saying...
TOPO