É comum, hoje em dia, assistir nas telonas dos cinemas filmes baseados em obras literárias. As adaptações utilizam o enredo ou clima de uma plataforma como inspiração para criar outro conteúdo. Foi pensando dessa forma, que o escritor Jhone Amaral, 24 anos, buscou no CD Born To Die, da cantora Lana Del Rey, o clima para

Tagged under: ,

Somos reis decadentes
A beleza na dor real das melodias de Lana Del Rey
 
Em plena era “Ultraviolence”/love com Francesco Carrozzini e com a novidade do próximo álbum “Honeymoon”, venho fazer uma abordagem da relação de identidade que temos com nossa Lolita, retrocedendo e fazendo uma análise da música “Gods and Monsters” e a vida cinza do

TOPO