Para a nossa edição de estreia, a enigmática Lana Del Rey se abre para uma entrevista com contemporâneos, colaboradores e celebradores sobre tudo, desde a música até a meditação e o futuro da humanidade.
“Eu não pertenço ao mundo, é o que é. Algo me separa das outras pessoas. Em todos os lugares que eu viro, há algo

Polêmica, dúbia, cheia de sentimentos ensurdecedores em uma bagunça melódica que ainda soa tão pura como se nada daquilo fosse errado. E claro, fodidamente linda. Essa é a música Ultraviolence, a faixa-título do álbum e que deixa todos sem saber o que dizer sempre que terminam de ouvir.
O termo “ultraviolence” surgiu com o livro e

TOPO