TEXTOS | Seis meses sem Ultraviolence

quinta-feira, 30 julho 2015 por

Creio que quando idolatramos algo, somos fanáticos por algo, nos tornamos parciais a favor do nosso ídolo. E parcialidade nunca é algo bom, na minha opinião. Decidi então fazer uma experiência: passar seis meses sem escutar Lana Del Rey, ou mais precisamente, o álbum Ultraviolence, que considero seu pico artístico até então. Mas… Por quê?

Tagged under:

A metamorfose de Elizabeth Woolridge Grant
Eizabeth Woolridge Grant nasceu em Nova Iorque em 21 de junho de 1985. Atualmente, é cantora e conhecida pelo nome artístico Lana Del Rey. Há quem acredito que a mudança de nome foi inspirada na combinação da atriz Lana Turne e do carro Ford Del Rey, outros que ela criou

Somos reis decadentes
A beleza na dor real das melodias de Lana Del Rey
 
Em plena era “Ultraviolence”/love com Francesco Carrozzini e com a novidade do próximo álbum “Honeymoon”, venho fazer uma abordagem da relação de identidade que temos com nossa Lolita, retrocedendo e fazendo uma análise da música “Gods and Monsters” e a vida cinza do

Para amar Lana Del Rey e entender a sua música não é preciso de muito, como costumam pintar por aí. Para senti-la e entendê-la, você não precisa se preocupar em ler tudo sobre a geração beat, nem os principais poemas de Allen Ginsberg e Walt Whitman. Para se identificar com sua vida, você não precisa

Tagged under: , ,

TEXTOS | Video Games

quarta-feira, 11 dezembro 2013 por

“Heaven is a place on earth with you, tell me all the things you want to do”
Califórnia, Los Angeles, Hollywood. Era verão, mas ao contrário dos dias de sol, escaldantes e cheios de uma energia condensada em variações extras de humores benignos, o dia estava triste, nublado, em preto e branco. Não havia chuva, não

Tagged under: ,

TEXTOS | Gods & Monsters

segunda-feira, 09 dezembro 2013 por

“É uma dança. Uma dança que, sob aquelas várias luzes e a fumaça eu sabia fazer como ninguém: meus movimentos, braços, quadris, mãos, olhares, tudo tinha sua função no momento em que eu dominava aquele lugar como ninguém, com a minha dança. O mundo não era exatamente o lugar mais seguro, havia muitos sentimentos ruins

Tagged under: ,

TEXTOS | Lolita

quarta-feira, 04 dezembro 2013 por

“Hey, lolita, hey. Hey, lolita, hey. I know what the boys want, I’m not gonna play”.
Ela era dele. Toda, completa e unicamente dele.
Ela não se importava com os garotos da sua idade a chamando para sair, ela não se importava em fazer fachada para uma sociedade mesquinha e cheia de “ele disse, ela disse”. Ela

Tagged under: ,

TEXTOS | Kill Kill

domingo, 24 novembro 2013 por

“Caminhei lentamente até o banheiro, me olhei no espelho e, depois, respirei fundo olhando para o meu próprio reflexo. Tirei a camisa e continuei me despindo até sentir o ar frio do mármore encostando na minha pele e comecei a pensar em tudo o que nos aconteceu, mais uma vez.
Liguei o chuveiro e a água

Tagged under: ,

TEXTOS | Jump

sábado, 16 novembro 2013 por

 
“Eu estava deitado em um colchão, no meio do quarto. Faltava pouco para as quatro da tarde e eu me sentia cada vez mais sufocado, fosse pelo calor daquele dia ou pelas paredes daquele lugar que pareciam se fechar em volta de mim… Minhas orelhas estavam um pouco suadas e meus fones escorregavam, caindo no

Tagged under: ,

TEXTOS | Dangerous Girl

terça-feira, 15 outubro 2013 por

“Eu era o que todo mundo queria e sabia disso, estava sentindo-se com sorte por eu estar aqui do seu lado, fumando meu
cigarro, e insistindo para você encher minha taça mais uma vez (“você já não bebeu demais?”).
Engraçado que você não escuta o que as pessoas que te querem bem dizem, elas te avisaram que

Tagged under: ,
TOPO