LOVE FROM ETHER | Uma Profunda Análise de Change

por / sábado, 26 agosto 2017 / Publicado emColunas, Love From Ether

TROPICO

O Movimento New Age surgiu na década de 70 e trazia a ideia de amor incondicional e a união de todas as crenças em prol de um bem maior: a Paz Mundial. Mas isso já foi discutido aqui diversas vezes. O que ainda segue impreciso é a incerteza de como essa utopia será atingida. Não há paz sem guerra, infelizmente.

Lana Del Rey, ao contrário dos fiéis seguidores do movimento, parece ser bem realista em relação ao que ele implica, quando analisado de uma forma mais profunda. Os ideais New Age estão longe de ser o prenúncio de uma paz sem luta e sem atitude. Adverso a isso, o movimento traz em suas entrelinhas a seguinte mensagem: Sua vida é fruto do que você faz.

Pensando nisso, a cantora nos traz uma reflexão na, talvez, canção mais profunda de Lust For Life. Canção essa que, segundo a própria, foi uma inspiração de última hora, a última música composta para o álbum, o que resultou em uma combinação atemporal entre voz e piano. Que, apesar da simplicidade, traz uma mensagem de esperança e fé, coisas tão necessárias atualmente quanto o oxigênio que respiramos.

introdução

 

NEM TUDO É O QUE PARECE SER

Há algo no vento, posso sentir soprando
Está chegando suavemente nas asas de uma bomba
Há algo no vento, posso sentir soprando
Está chegando com fervor e força

X

Há algo no vento, posso sentir soprando
Está chegando suavemente nas asas de uma canção
Há algo a água, posso senti-la azedar
É amargo, estou tossindo, mas agora está no meu sangue

Uma grande metáfora. Pode parecer um tanto controversa, é um tanto controversa, mas, se pararmos para analisar, a Era de Aquário é controversa. Inocente o tempo em que pensamos que a Nova Era seria o Paraíso. Talvez até a própria Lana tenha pensado isso naquela época em que ela parecia ter uma espécie de obsessão pelo sagrado Éden bíblico. A Era de Saturno está bem longe de ser o Paraíso, mas pode ser o caminho para um.

Ao contrário do que se pensou, não teremos paz e amor incondicional da noite para o dia. Mas teremos força para lutar por tempos melhores. Estamos no processo do despertar para as mudanças que precisam ser feitas. No mundo e em nós mesmos. Talvez isso seja a bomba.

Nada dá uma ideia mais urgente que uma bomba. Uma atitude é necessária não para daqui a alguns anos, mas imediatamente, para então a mudança acontecer. Lana Del Rey sente essa mudança. Por que? Porque, como alguém que atinge a quinta dimensão da consciência, ela pode sentir as mudanças muito antes da maioria das pessoas, o que é, muitas vezes, angustiante. Mas é um dom.

Já o que parece muito fácil, não é o melhor caminho. Primeiramente, vamos entender o que é unidade e o que é dualidade. Em uma realidade de um todo (Unidade), não existe oposição, tudo é UM. Em uma realidade dual, tudo se separa em opostos. A grande diferença entre a dualidade e a unidade é que na dualidade separamos tudo que é bom de tudo que é ruim; já na unidade, não é a inexistência da parte ruim, a questão é a integração da parte ruim à parte boa: o mal sendo parte do bem, o ódio sendo parte do amor, a escuridão sendo parte da luz.

01

Uma vez que tenhamos entendido, vamos pensar na bomba como o caminho certo e a canção como o caminho errado. Parece absurdo, mas é assim que a dualidade nos faz cometer erros, nos confunde, nos fazendo seguir caminhos que vão nos levar ao abismo, pois como seres dualistas, não ouvimos nosso Eu Superior (intuição) e agimos pela lógica. O que chega com a bomba, é doloroso, mas é imediato e impactante em um bom sentido. Já o que chega com uma canção, se infiltra no nosso ser sutilmente, não causando nenhum estrago aparente, mas nos causa um mal a longo prazo. O mais irônico é o fato de Lana Del Rey ter usado a palavra “canção” como metáfora. Paradoxal, totalmente ela, totalmente a dinâmica Unidade x Dualidade.

nem tudo é o que parece

LEIS DO KARMA

Ultimamente, tenho pensado que é dever de outra pessoa se importar
Quem sou eu para simpatizar quando ninguém deu a mínima?
Tenho pensado que é dever de outra pessoa se importar
Mas quem sou eu para querer tentar?

Lei da Responsabilidade e Lei da Conexão, respectivamente, 5ª e 6ª leis do Karma: Nós projetamos nossas responsabilidades nos outros, nunca assumindo a culpa pelo que fazemos e criamos uma realidade só nossa, esquecendo que tudo está conectado e que o Universo é um só.

Lana Del Rey se pergunta por que justo ela deveria se importar com a mudança que necessita ser feita. É aí que vem a 2ª lei do Karma: Lei da Criação. Sendo o Universo uma única criação, nós estamos inseridos nele e tudo que acontece em nós, acontece fora de nós. Sendo assim, a mudança deve começar de dentro para fora e não o contrário. Uma vez que ela mude seu interior, afetará o externo, emanará pelo Universo e essa mudança se tornará real.

leis do karma

O PODER DA MUDANÇA ESTÁ EM NÓS

A mudança é algo poderoso
As pessoas são seres poderosos
Tento encontrar o poder em mim para ter fé

Um paralelo entre o poder da mudança que se aproxima e o nosso poder pessoal toma lugar na primeira parte do refrão. Antes de mais nada, precisamos entender que a natureza da nossa alma não é dualista. Nós nos tornamos seres dualistas com o tempo, por encarnarmos em uma realidade assim. Unidade é sinônimo de Deus, Deus é sinônimo de Universo.

Assim sendo, peguemos o fato de que o ser humano faz parte do que as religiões chamam de Deus e a metafísica chama de Unidade: o ser humano tem o poder de mudar sua própria realidade. Uma simples frase que pode até passar despercebida na música faz toda a diferença. Lana Del Rey diz, nas entrelinhas – como já era de se esperar-, que a mudança só acontece uma vez que nós tomarmos a decisão de ir em busca dela, o que apenas faremos se tivermos fé, afinal, a fé é a projeção dos nossos desejos através da nossa mente, e a transformação de realidade precisa do nosso desejo de que algo aconteça, de que a mudança aconteça.

o poder da mudança

O ETERNO VERÃO

A mudança é algo poderoso
Sinto-a chegando em mim
Talvez, quando o verão acabar
Eu seja capaz de ser honesta
Capaz de lhe segurar em meus braços sem lhe deixar cair

Se há algo mais presente nas músicas de Lana Del Rey que dilemas de relacionamento, esse algo é o verão. A cantora compara a estação com os tempos mais felizes de sua vida. Mas, se formos analisar, o verão é tido como o tempo mais feliz do ano desde os primórdios da humanidade. O próprio paraíso em religiões neopagãs é chamado de Summerland (Terra do Verão), uma vez que o verão é quando nasce os deuses relacionados ao Sol. A grande questão é que as estações do ano são algo exclusivo da terceira dimensão da consciência, ou seja, do plano físico. As estações têm efeito em nós por nos relacionarmos diretamente com o físico, além disso, elas são uma forma de medir o tempo. O tempo como conhecemos deixa de existir nas dimensões superiores. É como se só existisse uma estação e ela não causasse nenhum efeito ruim, um verdadeiro paraíso. Então, Lana escolhe o verão, a estação mais agradável e mais amada por ela, para expressar a ideia de que, normalmente, apenas nos bons momentos ela consiga ser honesta e capaz de se agarrar em quem ela ama. Com a mudança que se aproxima – a evolução para a próxima dimensão da consciência -, a cantora se sentiria capaz de fazer isso até mesmo no fim de seus bons verões.

eterno verão

A PRESSA É INIMIGA DA PERFEIÇÃO

Todas as vezes que corremos
Não entendemos o porquê
Agora que finalmente desaceleramos
Nos sentimos próximos disso
Há uma mudança chegando
Não sabemos onde ou quando
Mas quando quer que seja
Estaremos esperando

Voltamos a Saturno, já falado em análises anteriores. Saturno é o Senhor do Tempo, ele exige foco, atenção e, principalmente, paciência. A mudança ocorre em seu próprio ritmo. Correr contra Saturno é buscar frustração. A maior lição que a Era de Aquário traz é que precisamos aprender a ter calma, precisamos desacelerar para que a mudança possa acontecer. Ou nem sentiremos essa mudança. A pressa do mundo contemporâneo é tanta que não paramos para olhar ao nosso redor e apreciar a vida.

Change traz uma mensagem de esperança. Expressa a fé que devemos ter ao esperar uma boa mudança em nossas vidas e no mundo. Traz a ideia de não desistirmos de construir um mundo melhor para nós mesmos e as próximas gerações.

pressa é inimiga da perfeição

Por Leticia Oliveira

Leticia Oliveira
Estudante de Jornalismo da UNIUBE, amante das Ciências Espirituais e do Movimento New Age, taróloga e poeta de araque. Lana Del Rey mudou sua percepção musical em 2012, jamais esperava ouvir algo que não fosse Metal Sinfônico, New Age ou alguma música da época de seus bisavós. Era muito gótica mas sempre acreditou que a Nova Era pudesse ser a cura da consciência coletiva. E está acontecendo. Procura espalhar Amor pelo mundo.
Tagged under: ,
  • TOMAZ DASI

    Perfeito!

TOPO