Confira a tradução da entrevista concedida por Lana Del Rey a Zane Lowe na rádio Beats 1

por / terça-feira, 18 julho 2017 / Publicado emEntrevistas

Beats 1

Lana Del Rey foi à sede da rádio Beats 1 em los Angeles na última quarta-feira (12) e concedeu uma entrevista ao radialista Zane Lowe. Confira a tradução a seguir.


 

Zane Lowe: Oi, Lana Del Rey!
Lana Del Rey: Ei!

Como você está? Uma salva de palmas para Lana Del Rey por ter acordado tão cedo e chegado aqui nesta manhã! (palmas ao fundo / risos).
(Risos) Ó, meu Deus, obrigada!

Como você está? É um prazer vê-la!
Muito bom te ver também!

Nesse lindo nascer do sol aqui em Los Angeles, Califórnia, enquanto estamos ao vivo para o mundo todo. Vamos te manter aqui o máximo que pudermos, temos músicas novas e estamos muito animados com elas, são incríveis! Então vamos lá! Eu estou de volta, obrigado aos meus amigos que me substituíram nestas últimas semanas, é a primeira vez que estou ao vivo para o mundo todo aqui da Apple Music, estou muito feliz por estar aqui. Sabe, Lana, é engraçado, eu ia começar tocando “Lust for Life” para me aquecer um pouco, mas eu nem certeza se quero fazer isso, eu estou pensando, tipo…
Droga!

Nossa, nós temos duas músicas novas!
Quer ir direto pra elas? (risos)

Eu nem vou gastar seu tempo porque o apetite por música hoje em dia, com a velocidade com que tudo acontece, e a forma como as pessoas querem ouvir o que é novo… E eu amei a forma como você tem apresentado esse álbum para nós.
Tem sido meio devagar.

Tem sido meio perfeito, certo? E parece que você tem sentido o álbum, trabalhando nele sozinha e lançando os vídeos quando deseja!
Sim.

E agora, chegando a reta final você vem com duas músicas novas e para nos dar todas as informações sobre esse novo álbum! A primeira música que vamos tocar agora, que tem essa vibe super maravilhosa envolvida com esse piano ao fundo… Como essa faixa se chama?
(Risos) Essa é “Summer Bummer”.

E quem está nela?
Bem, Boi-1da a produziu e temos Playboi Carti e A$AP Rocky.

O quê? (surpreso)
Pois é.

Você brincou com esse som no último álbum, com “High by the Beach” que tinha batidas semelhantes e agora parece que você realmente mergulhou de cabeça nesse som!
Sim, é verdade, mergulhei de cabeça! No último álbum eu tive “High by the Beach” e outra faixa, chamada “Freak” e eu senti que estava entrando nessa vibe meio midtempo, groove e agora eu mergulhei de cabeça mesmo, a noite toda (risos).

(Risos) E estamos aqui na primeira hora da manhã! Senhoras e senhores do mundo todo, ao vivo direto da Apple Music, aqui na Beats 1, a primeira de duas novas músicas de Lana Del Rey, “Summer Bummer”, com Carti, A$AP Rocky e produzida por Boi-1da, vamos ouvi-la?
Vamos!

A primeira de duas músicas novas do novo álbum de Lana Del Rey chamado “Lust for Life”, esta é “Summer Bummer”, com participação especial de Playboi Carti, produzida por Boi-1da, além de você mesma, junto com alguns outros produtores envolvidos no disco. Importante mencionar isso, que os produtores são um continuum ao longo do álbum e que você trabalhou na produção junto com eles.
Sim, sim, com certeza.

É incrível podermos ouvir a influência do Boi-1da na música e, claro, A$AP Rocky também, que tem se tornado uma grande parte, não só do seu álbum, mas parece que ele tem se tornado, ao longo do tempo, seu guru da moda! E também outras coisas!
(Risos)

Fale um pouco da sua relação com Rocky, porque vocês dois realmente se conectaram de forma profunda nesse álbum.
Sim, eu quero dizer, ele estava em meu vídeo para “National Anthem”, eu nem me lembro mais se isso foi em 2011 ou 2012, e eu tenho estado em contato com ele desde essa época e… Ele viaja muito, mas quando ele está na cidade – às vezes acontece de ele vir à cidade e ficar por um mês – sempre que ele está eu vou até o estúdio para ouvir no que ele está trabalhando e fazer backing vocals em suas músicas… Provavelmente existem muitas músicas, em algum lugar, em que nós dois cantamos.

Nossa, vocês trabalharam por muito tempo, então…
Sim, ao longo dos anos, porque nós fazemos as músicas, mas depois esquecemos. Mas se fazermos uma que é melhor que todas as outras, como é o caso dessa, que eu amo tanto, então tentamos lançar.

Além do que nós ouvimos no álbum, Lana, quais são as peças chave que você realmente aprecia na sua relação com Rocky, tipo, você estava falando como ele está sempre tentando escolher suas roupas…
(Risos) Às vezes ele me olha e fala “Jesus, o que você está usando”! Mas, como te falei, ele é muito mais versado em moda do que eu… Por favor, não encoste no meu Raf* (trocadilho com a música “Please, don’t Touch My Raf”, de A$AP Rocky).

*linha de roupas desenhadas pelo estilista belga Raf Simons.

(Risos) Don’t touch my Raf!
Tipo, ele me entende, mas… Eu não sei… Essas roupas, camisa pólo e jeans como estou usando agora…

Você está linda agora!
Eu tenho certeza que ele teria algo para dizer sobre elas.

Nós temos conseguido essas músicas, esses vídeos e você toca num show aqui, ou em um festival ali, mas não parece que você está em turnê!
Sim, é verdade.

Parece que você está sempre fazendo as coisas no seu próprio ritmo.
Sim… Eu não sei quando isso vai acontecer.

Agora!
(Risos) Começa agora!

É isso aí, pessoal, está começando agora! E… é brincadeira! A música é incrível, “Summer Bummer”, vamos tocá-la de novo daqui a pouco, mas vamos tocar outra música nova agora, chamada “Groupie Love”. Essa é uma das minhas preferidas que eu tive a oportunidade de ouvir quando você ainda estava trabalhando no álbum, quando nos encontramos, você foi gentil e me mostrou. Essa, novamente, tem a participação de A$AP Rocky; conte-nos a história sobre a criação de “Groupie Love” antes de a tocarmos para as pessoas.
“Groupie Love”, vejamos, eu acho que eu tinha quatro faixas que queria tocar para o Rocky, então eu as toquei para o Hector primeiro, ele não é o único produtor do Rocky, mas ele é um dos seus produtores principais. Então esperei para ver o que o Hector achava e ele disse que, de todas elas, esta, “Groupie Love”, era a que Rocky gostaria mais. Então tocamos para ele e Rocky a amou. Ele veio até o estúdio, gravou um verso e então, alguns meses depois, ele decidiu que queria fazê-lo diferente, então nós fizemos um novo verso e mudamos a produção um pouco. Bem, e ela ficou assim como vocês vão ouvir agora.

Eu vi a tracklist e não sei se estou correto em dizer, mas parece que essa vem logo após “Summer Bummer”, parece que elas fazem parte do centro do álbum. Chega esse momento no qual essas músicas são como dois irmãos ou algo parecido e o som do álbum te manda para outro lugar completamente diferente. Isso foi de propósito?
Com certeza, definitivamente. Minha tracklist mudou muito nos últimos três meses e eu senti que essa seção do meio do álbum com essas músicas “White Mustang”, “Cherry”, “Summer Bummer” e “Groupie Love”… E até mesmo “Coachella” um pouco, eu sinto que essa seção tem muito fogo mesmo não sendo músicas muito rápidas, mas as batidas são bem fortes.

Quando você sentiu que já estava tudo terminado? Quando você soube que estava pronto, se vocês fizeram um jantar ou algo do tipo quando seus produtores decidiram tocar para você a mixagem final.
Bem, para ser muito honesta, a última, última mixagem não foi há muito tempo, porque o álbum mudou logo quando começamos a transferi-lo para o vinil. Na verdade, a mixagem mudou muito, então eu estava apreensiva, mas esta é uma daquelas que eu acho que mudou no último minuto para melhor.

Sim, e como você sabe? Porque sua música é tão cheia de atmosfera, emoção e camadas de coisas que vem chegando aos nossos ouvidos, é uma experiência sônica muito surreal, deve ser difícil alcançar esse nível de perfeição.
É sim, quero dizer, quando se está trabalhando com muitas outras pessoas também, às vezes você não sabe se está bom, às vezes você acha que o que eles acham é o melhor. Quero dizer, não o tempo todo, mas com o Rocky, por exemplo. Eu achava que ninguém era mais perfeccionista do que eu, mas quando se trata de sons, como os reverbs, ele sabe o que quer.

Ele é um cara dos detalhes.
(Risos) Ele aprecia os detalhes.

“Groupie Love” vindo agora após “Summer Bummer”, ambas com participação especial de A$AP Rocky, “Summer Bummer” contando também com Playboi Carti, ambas lado a lada na tracklist, ancorando o que é um incrível álbum composto por 16 músicas que eu tive a chance de escutar. Ainda dezesseis faixas?
Dezesseis músicas, sim.

São muitas músicas para apreciarmos e eu estava dizendo – nós falamos um pouco sobre isso antes de entrarmos no ar – como eu acho que o álbum começa de uma forma genérica, sabe? Pela primeira vez não é, tipo, essa sou eu, esse é o som e vamos partir naquela direção, é algo mais geral, com “look you kids, with your vintage gigs” basicamente.
(Rindo) Sim.

Então você menciona satélites e, subitamente, estamos no espaço! Esses são alguns temas que continuam presentes ao longo do álbum e soa como se você estivesse olhando para baixo, para as pessoas que você gosta, sejam seus amigos, família, seus fãs, parece que você está olhando de um ponto de vista diferente, não é como antes, isso faz sentido?
Sim, com certeza. Eu gosto de pensar como se eu estivesse olhando finalmente do interior para o exterior, ao invés de estar no exterior e, com isso, não me conectando tanto. Eu acho que leva tempo se ajustar a tudo, integrar tudo, como ser uma cantora e ser simultaneamente uma fã, de outras pessoas, sabe, e conseguir fazer isso tudo funcionar. É uma época muito diferente também, é a primeira vez em dez anos que eu realmente sinto que a cultura e a situação social estão evoluindo juntas de uma forma enorme e seria estranho não se transformar junto. Eu senti que é uma evolução natural, não tenho certeza nem de como explicar isso, mas eu senti que definitivamente queria me doar mais, eu não queria ficar dentro da minha cabeça tanto. Eu amei que a tracklist começa com “look you kids with your vintage music” concatenada com “cruising around in your vintage car”, junto com as imagens de estações de rádio transmitidas por satélite. É legal…

Sim, você trouxe esse sentimento vintage para a sua música por toda a sua carreira, sabe, e não teve medo de escrever sobre o passado e também trabalhar nessas paisagens futurísticas, é quase como um início forte para o álbum.
Isso é legal, gostei disso.

“Look you kids with your vintage music” (risos). Dependendo de como você fala pode ser muito engraçado, tipo “Hey, look at you, kids…” Suas coisinhas fofas.
(Risos). Eu sei.

Estamos no início da manhã, eu preciso dizer isso para as pessoas que estão ouvindo ao redor do mundo. Nesse horário a maioria das pessoas devem inclusive estar indo trabalhar, mas para estrelas do rock, estrelas do pop e grandes estrelas que estão presos nesse lugar – onde o continuum espaço-tempo não significa nada até começar as turnês – ainda é bem cedo.
Isso é verdade. A última vez que eu me levantei às 07:00hrs foi definitivamente para pegar um avião.

Você é uma pessoa matinal?
Hum…

Não?
Bem, estou me sentindo acordada agora… Mas não normalmente.

Ótimo. É o café.
Sim.

E você está pronta para cair na estrada? Porque eu sei que você vai fazer alguns shows em festivais durante o verão, mas você não anunciou nenhuma turnê mundial nem nada parecido até então.
Não, não anunciei… Eu sinto que, com “Love” saindo primeiro, ela vazou na internet, então tivemos que lançar antes e eu não estava pronta para começar tudo até abril. Mas agora acho que eu consegui realmente chegar onde eu queria no planejamento das coisas, e estou muito animada para ter logo todas as músicas lançadas e poder cantá-las. E também quero fazer algumas listening parties na cidade antes do álbum ser lançado oficialmente.

Como sequer acontece de coisas vazarem nos dias atuais? Isso é tão 2002, essa coisa de vazar um álbum!
Eu não faço ideia! Eu sou tão conhecida por ter tudo vazado…

Como é possível? Você que vaza? É você que vaza!
(Risos) Realmente não sou eu porque eu gosto que as coisas sejam surpresas. E eu amo um planejamento!

Mas vazar é uma grande surpresa, para todos! Sua gravadora, seus produtores… Para todos!
Eu não gosto desse tipo de surpresa, é tão chato.

(Risos).
Não, com certeza não (brava).

Te desanima quando um álbum sai antes do tempo como aconteceu com “Love”?
Sim, é tão horrível. Quero dizer, por sorte, todos postaram as músicas quando elas saíram antes do esperado, o que quer dizer que eles gostaram muito, e isso foi ótimo, mas…

Eu acho que você é a vazadora, você que está vazando! Se eu fosse a sua gravadora, eu estaria checando todos os seus e-mails nesse momento!
(Risos) Ó meu Deus! Sou eu!

Eu estaria checando todos os seus destinatários agora procurando para quem você anda enviando coisas! Pessoal, está é Lana Del Rey, com seu novo álbum, “Lust for Life”, que sairá em 21 de julho, cara, está tão próximo!
Sim, tão próximo!

Estou tão animado de saber que você tem um álbum saindo e, como nós estávamos falando antes, é interessante a forma como o álbum começa, genérico, tanto quando se trata da temática e do lirismo, de uma perspectiva de dentro para fora, ao mesmo tempo que também convida outras pessoas para seu interior, como Rocky e Carti. E além das pessoas com as quais você tradicionalmente trabalha, como seus produtores, temos também algumas participações especiais interessantes!
Isso é verdade.

Eu adoraria conversar com você sobre como foi trabalhar com a Stevie Nicks porque, como um fã de carteirinha do Fleetwood Mac e alguém que adora sua músic-
(Lana interrompe) Você é? Quero dizer, quem não é?

Ó Deus, sim! Inacreditável. E principalmente depois que eu me mudei para Califórnia porque você começa a conseguir sentir o porquê de tais músicas existirem.
Isso! Você consegue meio que ver como elas foram escritas, a paisagem e a vibe são muito similares.

Esse é um lugar muito melancólico e esperançoso às vezes. Quero dizer, tem esse clima de esperança, mas também pode ser uma cidade muito desesperada, e eu acho que a música deles conseguiu representar isso muito bem de várias maneiras.
Sim, com certeza, acho que essa é uma forma bacana de se olhar. Acho que mesmo se você se mudar para cá e não conhecer ninguém, a paisagem te aconchega e direciona suas experiências instantaneamente. Se você é uma pessoa imaginativa você pode começar construir seu mundo a partir de qualquer rua em que você estiver morando.

E combina com você, a Califórnia, eu acho, mesmo você sendo da Costa Leste. Você se sente mais parte do país hoje em dia do que quando você era adolescente, talvez?
Bem, eu nunca me senti muito parte, sabe, do norte do país. Eu sou do norte do estado de Nova Iorque e na cidade onde eu cresci era tão frio o tempo todo! Em todos os meus aniversários – em 21 de junho – só não nevou duas vezes, isso antes de eu me mudar quando tinha 15 anos. É o lugar mais frio do país. Quero dizer, eu aprecio muito os lugares no norte, mas eu amo o clima aqui. E a música! Eu amo todas as histórias sobre Joni Mitchell e The Eagles e tudo que envolve o cenário musical dos anos 60 e 70.

Você pediu a Stevie Nicks para te contar histórias?
Eu nem precisei, ela me contou tantas histórias!

Conte uma para nós, por favor, compartilhe uma com a gente, conte-nos uma experiência que foi especial para você de quando vocês trabalharam juntas.
Deus, ela disse tantas coisas… Eu amava ouvir sobre os namorados dela. (risos) O que ela disse? Eu não me lembro, eu acho que ela namorou Don Henley, ou então algum outro integrante do The Eagles… E ela contou como era divertido quando ela fazia toneladas de música e todos eles saíam sempre.

Bons tempos! E como aconteceu essa experiência? Você já a conhecia antes de vocês começarem a trabalhar na música juntas ou você a procurou pela primeira vez?
Não conhecia, mas Rick cresceu na mesma cidade que ela, acho que próximo a San Francisco, meu produtor, Rick Nowels. Então ele ligou para ela, ela respondeu e ele me deixou falar com ela… E eu disse “ei, o que você acha de entrar em uma dessas músicas comigo?”

Você estava nervosa?
Sim, ela é a única pessoa que eu não conhecia, então pensei que ela talvez fosse dizer não, mas ela disse que sim na mesma hora! Então nós fomos para o estúdio três dias após a ligação, para o Electric Lady, em Nova Iorque. Eu não estava lá na primeira parte da gravação dela, Rick pegou um avião e foi. Então eles voaram juntos de volta alguns dias depois disso e nós gravamos o resto em nosso estúdio aqui, em Santa Mônica.

E você trabalhou também com Sean Ono Lennon, o que é muito legal e esse é um ícone que eu acho que você já conhecia antes, certo?
Na verdade, eu não conhecia o Sean também, mas eu sentia como se já o conhecesse. Eu já havia enviado a ele algumas coisas pela internet, e consegui o telefone dele também com seu empresário. Então fiz uma chamada de vídeo com ele pelo Facetime.

Facetime? Áudio ou vídeo?
Vídeo! Eu gosto de entrar de cabeça (risos).

Vídeo é muito estranho! Eu não faço chamadas de vídeo nem com meu melhor amigo!
Tão estranho! Mas sabe o que é mais estranho? Quando você usa o Facetime pela primeira vez, você nunca mais liga para ninguém. Hoje eu só uso chamadas de vídeo com todo mundo.

Eu gosto do Facetime, só não gosto da parte do vídeo porque o tempo todo eu estou-
Mas qual o ponto de usar o Facetime para áudio? Por causa do Wi-Fi?

O áudio é muito limpo, rápido, é uma conexão muito melhor!

(ambos riem)

Eu acho que as chamadas de áudio do Facetime não são valorizadas como merecem. São pouco apreciadas!
Eu não sei, eu nunca usei.

Eu acho que você deveria tentar! Tira um pouco da esquisitice.
Vou tentar.

Apesar de parecer que você já abraçou toda a esquisitice do Facetime vídeo.
Eu sei, abracei mesmo! E ligar para ele não foi estranho!

Mas, cá entre nós, você não pode estar sempre preparada para fazer uma chamada de vídeo!
Sempre, o tempo todo! Tipo, eu tenho o telefone do Lil Yachty e eu apenas… Facetime.

(Risos) Você realmente fez uma chamada de vídeo com o Boat*? Onde ele estava?
Ele estava em casa. E eu cheguei, apenas, “ei, Lil Boat”! (risos) Nós começamos a rir na hora, eu amo tanto aquele cara.
*apelido do Lil Yachty

(ambos gargalhando)

Ele é incrível. Quanto tempo a ligação entre vocês durou?
Uns quinze minutos.

(Surpreso) O que ele tem pra dizer que dura quinze minutos?? Ele não pode ter tanta história para gastar quinze minutos inteiros!
Ele tinha! Me falou sobre Amsterdan, ele havia perdido a mala… Eu só fiquei online, tentando ajudá-lo a encontrá-la, ele tentando falar com o pessoal do aeroporto, sei lá.

(Risos) Estou imaginando você conversando com ele enquanto ele procurava a mala.
(Risos) Você precisa se entregar para as chamadas de vídeo do Facetime.

Eu preciso abraçar essa tecnologia. Mas eu fico ansioso! Sempre que eu vejo uma chamada de vídeo, mesmo que seja a minha mãe, meu estômago começa a se embrulhar! Eu apenas rejeito a ligação!
(Risos) Não, mas é um compromisso!

É um compromisso mesmo!
Bem, mas você é um cara ocupado…

Eu posso tentar fazer uma cara de paisagem, daí as pessoas não saberão se estou curtindo ou não a ligação.

*Lana faz uma chamada de vídeo com A$AP Rocky*

Você não pode fazer uma chamada de vídeo com Rocky no estúdio e não transmitir isso ao vivo! Você não pode fazer isso!
Eu sei! Eu só queria te contar que ele está tocando nossos dois álbuns nesse momento.

Eu posso vê-lo?
[A$AP Rocky no telefone]: Ei!

E aí, Rocky? Como você está?
[AR]: Espera, você está com o Zane agora?
Sim, estou com ele aqui!
[AR]: *fala algo ininteligível*

O que você está fazendo aí, Rocky?
[AR]: *fala algo ininteligível*

(Risos) Esse cara está sempre ligado. Sério, cara, onde você está agora? O que está fazendo aí?
[AR]: Eu estou no vaso!

(Risos) Você está literalmente no vaso neste momento?
[AR]: Não, sério mesmo, eu estou no vaso e falando no telefone.

(todos gargalhando)

Lana, está, tipo “ok, hora de ir”.

*A$AP Rocky desliga o telefone*

Lana Del Rey está ao vivo conosco aqui no estúdio, nós tocamos duas músicas maravilhosas, duas músicas novas, as duas com participação especial do A$AP Rocky e acabamos de fazer uma chamada de vídeo pelo Facetime com ele. Você parece que vai vomitar, Lana!
(Gargalhando) Não, não vou, só estou rindo muito mesmo!

Então, acabamos de fazer uma chamada de vídeo com o Rocky e Lana estava nos falando como precisamos realmente abraçar as chamadas de vídeo e nos entregarmos completamente, mesmo eu sento tímido.
Sim, senão você perde acontecimentos como esse de agora!

Ele atendeu o telefone enquanto estava no vaso!
Foi o que ele disse! Quem sabe se é verdade, sendo o Rocky. Quem sabe!

(Risos) Em 21 de Julho é o dia de lançamento do álbum, os fãs estão muito animados e, inclusive, querem alguns esclarecimentos também! Eles querem saber: haverá uma versão deluxe do álbum? Quero dizer, a versão original já tem 16 músicas!
Na verdade não por agora, eu não sei nem se seria possível fazer isso assim de última hora. Existem quatro faixas que eu realmente amava muito, mas eu senti que não se encaixavam na estética do álbum, então… Não, eu acho que teremos apenas a versão original, só isso.

Você tem essas quatro músicas, então elas existirão de alguma outra forma em algum momento.
Sim, talvez eu faça algo com elas.

Você pensou, em algum momento, quem você ia chamar para participar do disco?
Eu pensei, talvez a gente devesse tentar ligar para o Boi-1da, sabe…

Eu amo esse cara, imagino você abrindo sua agenda no celular e pensando “vamos ligar para todo mundo”.
Vamos tentar agora e ver se ele atende.

*Lana ligando para o Boi-1da*

[Boi-1da]: Wow!

E aí, fofura?
[B]: Fofura? É isso aí, eu mesmo!

Por acaso, queria comunicar que você está ao vivo agora, então não fale nada muito louco.
[B]: Estou?
Sim!

E aí, Boi-1da?
[B]: E aí, o que tá rolando, irmão?

O que está rolando, meu chapa? Estávamos agora escutando seu trabalho, incrível som, “Summer Bummer” agora aqui na Beats 1, realmente incrível.
Desculpe, querido, eu estou colocando todos na linha de fogo hoje.

Ela está acabando com todos hoje!
[B]: Tá de boa! Obrigado, meu caro, Lana arrasou naquela música. Sabe, eu estava fazendo do meu jeito, mas ela chegou e realmente brilhou com a música.
Sim.

Onde você está indo agora? Você está dirigindo?
[B]: Sim, na verdade estou dirigindo mesmo. Sabe, só tomando um ar mesmo.

(todos rindo)

Meu Deus, ele só está tomando uns ares!
[B]: Me ligue quando eu estiver de folga!

Ei, Boi-1da, Lana acabou de fazer uma chamada de vídeo pelo Facetime com o A$AP Rocky, enquanto ele estava no vaso.
[B]: (surpresa) Oh, wow!

(Risos) Viu? Você está se saindo bem!
[B]: Ah, que ótimo! Eu poderia ter sido pego desse jeito, mas é melhor assim, dirigindo a toa…

Então, eu ia perguntar isso para a Lana agora e eu estou amando você estar online para também responder a essa perguntinha rápida: sabe, a colaboração entre vocês dois nesse álbum ficou tão perfeita. Existe espaço, no futuro, para que vocês trabalharem juntos novamente? Porque eu acho que o jeito com o qual você faz as batidas, Boi-1da, e a atmosfera que a sua voz cria no que você está fazendo encaixa perfeitamente com a atmosfera que envolve as músicas da Lana também. Você estaria aberto a isso?
[B]: Claro, claro que sim. Lana e eu trabalhamos juntos apenas aconteceu de forma muito natural e tudo entrou em seus devidos lugares de forma perfeita, não precisamos forçar nada para que acontecesse e isso foi incrível. Eu amei trabalhar com ela. Tem essa transição suave que acontece sempre que trabalhamos juntos, sabe, nós fizemos algumas coisas juntos, talvez você ouça no futur-
(Lana interrompe) Para! Para! Espere até chegar!

Não, espera, espera um pouquinho aí! Paraaaa!
[B]: É, vamos esperar chegar! (risos)

Ei, Boi1-da, eu estou exigindo uma mixtape! Eu estou exigindo mesmo! Como um fã, eu preciso falar isso, eu acho que, em algum ponto, Rocky e Lana, ancorando juntos um álbum inteiro com essa química tão boa que eles possuem juntos… Com você nas batidas, vamos lá, meu caro…
Sim, uma mixtape de verão!
[B]: Talvez nós façamos isso mesmo, certo?

Vocês deveriam fazer isso!
Sim, sim, se chamaria “Lifestyle as a Dean Young and wavy”.

(Surpreso) Wooooooow!!!!!
[B]: Viu, como ela pensa rápido nas coisas?

Simplesmente saiu assim, do nada!
Não vou mentir, eu roubei esse verso, mas eu estou creditada na composição.

De onde ele é?
Não posso te contar. Você ainda vai ouvir, vai sair mais tarde ainda este ano!
[B]: Quando ela estiver pronta, eu estou.

Legal! Boi-1da, dirija com cuidado, obrigado por atender nossa ligação!
Tchauzinho, fofura.
[B]: Tchau, amorzinho.

*Boi-1da desliga o telefone*

Wow, Lana, você acabou de esfregar na minha cara como chamadas de vídeo do Facetime podem ser úteis.
Viu só?

Agora estou sentindo que preciso fazer uma chamada de vídeo com alguém!
Vamos achar alguém! Posso procurar?

Claro, dá uma olhada aqui.
Você tem códigos para os nomes das pessoas no seu celular ou as pessoas estão salvas com seus nomes verdadeiros?

Eu costumava colocar códigos e então eu, apenas-
Você esquecia.

Sim, eu estava esquecendo de colocar como códigos e agora é tudo na cara, todos são quem são. E eu nem finjo mais, eu coloco os nomes dos artistas completos aqui.
(Surpresa) Os nomes completos!

Pois é, então se alguém pegar meu celular vai se dar muito bem.
Certo… Ó, meu Deus (preocupada).

Mas é bem difícil alguém conseguir crackear meu código de segurança, qualquer coisa eu ligo pra Apple, Lana.
É, já tenho prática nisso. Já passei por vários iPhones e iPad.

Sério? Podemos te ajudar com isso (ambos rindo).
Nunca nem pensei nisso, sabe. Nunca pensei em quem me ligaria!

É porque você está se preocupando com o que está na superfície, com as chamadas de vídeo pelo Facetime.
Pois é, eu nunca consigo pensar em todas as funções do meu celular, sempre acabo fazendo o básico. Agora todas as vezes que eu roubar o iPad de um namorado eu vou trazê-lo para você.

Ah, então é assim que você faz! Essa é a vibe, enquanto eu pego o iPhone você pega o iPad!
Sim, você só precisa fuçar o iPad porque, normalmente, todos os aparelhos são conectados e dá para descobrir muita coisa.

Nossa, então você é assumidamente uma fuçadora.
Com certeza. Eu quero saber! Eu vou saber!

(Gargalhando) Ó, meu Deus.
Nem sei como viemos parar nesse assunto, mas estou apenas pensando.

Estou feliz por termos (rindo).

Bravo, Lana, suas músicas estão lindas nesse novo álbum, chamado “Lust for Life”, já está disponível para pré-venda na Apple Music e será lançado no dia 21 de Julho. Essa foi “Groupie Love” com participação especial A$AP Rocky. Agora estou pensando se o Rocky é rápido no vaso ou se ele demora um pouco. Tenho certeza que você já teve namorados dos dois tipos, mas, tipo, alguns caras gostam de levar um tempo, sabe?
Sim, barros* diferentes. (risos) Soou errado, desculpe.
*trocadilho em inglês com a palavra “abordagem”

(Risos) Na verdade soou péssimo, não dá nem pra tentar te defender!
Eu sei, eu faço isso o tempo todo.

Você é uma pessoa estranha em diálogos?
Sim, eu posso ser tão esquisita, dependendo da situação. O negócio é que, tipo, eu não me importo em ser estranha, mas não seria necessariamente bom…

(Risos) Entendido! Agora, as pessoas querem saber a respeito de uma turnê mundial e nós falamos um pouco sobre isso no início da entrevista. Você vai fazer um anúncio oficial em algum momento? Isso está nos seus planos?
Bem, eu tenho cinco shows isolados que eu acho que as pessoas já sabem a respeito. É estranho porque, com os festivais acontecendo, eu quase sinto como se fosse uma turnê, mas-

(Interrompe) Não é uma turnê verdadeira… Até parece ser, mas…
(Interrompe) Não é mesmo, mas sabe o que acontece? Eu realmente quero ir para uma turnê com alguém que eu ame, esse é o negócio. Tipo, dessa vez eu quero cair na estrada como eu fiz com a Courtney Love, eu nem lembro quando foi isso, acho que há dois anos. E foi tão legal, então eu quero repetir a experiência com alguém com quem eu me divirta também.

Quem seria seu sonho? De qualquer pessoa, dentre os seus amigos que você admira…
Existem tantas pessoas, sabe.

Você já conversou a respeito com o Abel, sobre fazer algo do tipo por agora?
Sim, a gente conversava muito sobre isso, há uns dois anos. Mas, sabe… Ele gosta muito de um estádio e-

(Interrompe) Você não acha que isso funcionaria para você?
Tipo, eu gosto de arenas, mas eu sou muito mimada, sabe, tendo cantado em festivais por cinco anos seguidos… Seja no Lollapalloza ou outros, eu amo estar em lugares abertos. Então, para mim, fazer 20 shows durante o verão, eu não acho que… Eu me lembro do que foi o mais incrível, o Festival Sasquatch, apenas estar lá fora, em um lugar aberto, estava ventando e, você entende.

Sim, com o sol descendo no horizonte, criando aquele brilho do fim de tarde, é meio perfeito mesmo.
Sim, eu tenho todos esses elementos me apoiando… Eu sou um pouco hippie, sabe.

Só um pouco?
Eu sei (risos).

A capa do álbum é incrível também e nós falamos sobre isso antes, a foto foi tirada por sua irmã – o que é muito legal -, certo?
Sim, minha irmã. Ela é uma fotógrafa incrível e nós tiramos a foto da capa do lado de fora do estúdio em que filmamos o vídeo para “Love”. Ela tem tirado muitas de minhas fotos, ela e Neil Krug, eu não sei se você o conhece, mas ele é um fotógrafo incrível também.

Nós já sabemos quais as participações especiais do seu álbum, e eu não quero cortar sua onda, mas eu sei que existem alguns rumores circulando sobre você estar entrando em estúdios com outras pessoas, em seus próprios álbuns e não sei se você quer falar um pouco a respeito…
Em quem você está pensando?

Miles Kane, por exemplo, você fez algum trabalho com ele?
Oh, Miles Kane, sim, nossa, eu fiz vários trabalhos com ele. Miles, eu e os outros garotos que compõem o The Last Shadow Puppets, nós estamos meio que trabalhando em um projeto secundário, com uma banda só nossa e coisas do tipo…

Quando foi isso?
Foi de Dezembro até Março. Mas então eu percebi-

(Interrompe) Ah, então vocês todos estavam pensando “vamos fazer algo, vamos tornar essas ideias reais”…
Sim, porque eu não tinha uma turnê mundial planejada e eles também não tinham nada porque o Alex está trabalhando em suas próprias coisas. Então pareceu uma boa ideia na época, mas depois de eu escutar todas as músicas eu senti que elas eram muito… Elas eram provavelmente feitas para o Miles, eram muito pessoais, meio que direcionadas para os trabalhos solo dele. Eu sei que ele e Zach Dawes, que também faz parte do The Last Shadow Puppets, estão atualmente trabalhando nessas coisas. E eu espero que eles não descartem as músicas que fizemos, porque foram muitas.

É tão interessante ver que em um ponto você já estava pensando nisso, como nós estávamos falando antes, acerca dessa ideia de uma mixtape, algo além de apenas a Lana Del Rey – independentemente do formato que esse trabalho conjunto vá tomar. É legal ver que isso já estava acontecendo, que você estava pensando “bem, talvez eu vá mesmo me divertir com essas pessoas”…
Sim, porque o negócio interessante é que eu fico presente na minha cidade, em LA, a maior parte do tempo e existem tantos músicos aqui agora, tipo, todos estão aqui. Eu sinto que Miles e Alex estão aqui e todos os outros… É possível entrar de cabeça na música aqui, a todo momento.

E você entrou em estúdio com mais alguém, mesmo que seja gravando só por diversão, ou como parte de algum outro projeto?
Bem, vamos ver: eu estava obviamente trabalhando algumas coisas com o Abel, o The Weeknd, quando ele estava trabalhando em seu próprio álbum. Outro que está sempre presente comigo, tempo sim, tempo não, é o Rocky… Quer saber, sim, eu estava trabalhando em com algumas pessoas, mas eu realmente não quero que essas informações vazem ainda!

(ambos rindo)

Nossa, mas estava tão perto!!!
Eu seeeei, eu quase falei, mas então eu pensei “não!”

Nossa, meu Deus, foi quase! Olha quantos homens barbados da sua equipe estão, do outro lado desse vidro a prova de som, balançando suas cabeças desesperadamente implorando para você, insinuando “não faça isso”! Olha lá, estão todos balançando com medo!
(Rindo) Viu só? Dessa vez vai ser não mesmo!

E aquela amiga sua ali, como ela se chama mesmo?
Stella.

Ela estava basicamente rindo e balançando a cabeça pedindo para você contar! Ela estava, tipo, “vai, garota”!
(Rindo) É porque ela sabe! Stella me conhece, essa é a minha garota.

Ela sabe que você está morrendo de vontade de dizer.
Eu estou mesmo! Mas não vou. Vamos continuar, então, deixa eu ver quem mais.. Não, mas sabe, nós estávamos falando da Marina antes e nós duas estamos sempre falando “talvez façamos algo juntas!”, mas eu não sei o que ela vai fazer exatamente com sua música por agora, mas… Tipo, eu a amo, eu amo a Natasha do Bat for Lashes… Jacob Dylan, eu o conheci recentemente e eu gosto muito dele também.

Ele é incrível!
Sim, ele tem estado por perto! Ele está trabalhando em um álbum e me pediu algumas vezes para ir até o estúdio-

(Interrompe) Porque você tem produzido sua própria música com o Rick nesses últimos tempos… E você tem habilidade em conseguir fazer isso e ainda assim colaborar com outras pessoas em seu disco. Provavelmente não haveria um senso de continuidade em sua música se não fosse pela sua presença na produção.
Sim, definitivamente.

Eu fico pensando se isso é algo que lhe interessa, a ideia de, em algum ponto, focar em produção musical.
Nossa, não. É tanto trabalho! Para ser honesta eu não gosto nem de produzir as minhas próprias coisa. Cada música – não o tempo todo, pois algumas músicas meio que se constroem sozinhas e é instantaneamente fácil, como a faixa com o Boi-1da, “Summer Bummer” que simplesmente se ajeitou para nós, ela foi muito fácil de fazer –, mas aquelas que eu faço apenas com o Rick, essas demoram tanto tempo para tomar forma… Não é algo muito divertido, sabe, os versos e a melodia podem estar ótimos, mas quando já passou um ano e meio de construção do disco e você se pega pensando “essa parte com os violinos é ridícula, vamos trocá-la”… É algo muito cansativo, você fica entediado com o próprio processo de criação.

Os fãs querem saber a respeito de uma música chamada “Yosemite”.
Ok, então “Yosemite”… Isso é tão eu. “Yosemite” é uma faixa que eu falei a respeito em todas as minhas entrevistas, online e tudo o mais, e agora não está inclusa no álbum.

(Surpresa) O quê? O que aconteceu? O que saiu errado?
Ai, eu sei. Ela era muito feliz. Ainda não estamos lá.

Meu Deus, essa é uma ótima perspectiva. Você já chegou a lançar alguma música que podia ser considerada feliz?
(Rindo) Essa foi uma coisa estranha de se dizer. Sabe o que é: eu estou chegando ao lugar o qual eu canto a respeito nos versos de “Yosemite”, mas, apesar de estar perto, eu ainda não estou lá. Tipo, no fim do disco eu escrevi duas músicas, “Cherry” e “White Mustang”, as quais eu até achava que soava entediada cantando, porque eu não estava muito acostumada a me ouvir soar daquela forma musicalmente. E com isso eu percebi uma coisa: eu pensava que ao chegar ao fim desse disco, eu teria chegado em lugar completamente diferente, meio que nessa zona onde tudo é muito claro e compreensível… E no fim das contas eu percebi que ainda estou tentando entender tantas coisas. E “Yosemite” era próxima dessa idealização, do retorno à natureza que eu mergulhei, pessoalmente, mas que eu-

(Interrompe) Você soa estar mais próxima disso do que eu jamais te vi antes. Eu não quero fingir que te conheço bem, mas eu tenho te visto de tempos em tempos, e hoje você soa como alguém que poderia transformar essa mentalidade, essa idealização e abordá-la de forma a criar algo realmente pleno.
Sim, eu estou mais próxima mesmo, e eu amaria fazer isso. Existem tantos caminhos diferentes que você pode seguir, sabe… A música, “Yosemite”, é lenta também e no final da produção eu estava procurando por faixas mais quentes.

Tipo com as batidas fortes, como nós tocamos hoje?
Sim.

“Summer Bummer” e “Groupie Love”, duas músicas incríveis que fazem parte do novo álbum, que é composto por 16 músicas no total. São muitas músicas para os fãs! Então qualquer um daqueles que estavam reclamando, subversivamente dizendo “onde está esse álbum, Lana?”, você finalmente está o trazendo com 16 músicas, o que é incrível.
Isso é verdade. É um álbum bem longo, principalmente porque as músicas duram de 5 a 6 minutos.

As pessoas estão perguntando acerca de uma música denominada “Architecture”.
(Susurra) Merda! Deus, essa é outra música que eu falava a respeito o tempo todo. É como se elas fossem faixas irmãs, assim como “Summer Bummer” e “Groupie Love”. É como se ela fosse o Yin do Yang de “Yosemite”. Novamente, ela lembra algo como Topanga… Ela fala sobre esse lugar que eu consegui chegar por apenas um minuto, mas que eu fui completamente tirada subitamente. Para ser honesta, quanto mais eu adicionava as participações especiais do álbum, mais distante eu ia ficando deste lugar, algo que soa como o extremo Oeste, sabe, locais como Malibu, Topanga…

Qual é a música que eu ouvi e te falei que fiquei impressionado com os alcances vocais?
“When the World Was at War We Kept Dancing”. Sabe, eu fiquei surpresa por você ter gostado dela.

Sim, porque para mim, vocalmente, como explicar isso sem parecer uma péssima pessoa-
(Interrompe) Eu me lembro exatamente do que você me disse quando ouviu: foi algo do tipo “eu sinto que você está enganando os fãs por não ter cantado assim antes”.

Sim, provavelmente algo antipático como isso mesmo.
(Rindo) Não, mas soou como um elogio! Eu fiquei feliz por você ter gostado dessa música.

Sim, e eu realmente acho linda, parece que você está se agarrando às esperanças! Eu sei que você tem que ir e eu estou te segurando nesses últimos minutos, mas você falou a respeito deste espaço aberto, desse otimismo, essas coisas que não estão muito presentes nesse álbum, pois você ainda não se sente pronta para imergir completamente nessa ideia… Mas essa música particularmente traz um pouco dessa ideia, como se chama mesmo?
“When the World Was at War We Kept Dancing”.

Quando eu ouço os vocais desta música eu sinto que esta é outra área que você ainda não imergiu totalmente, que nós ainda teremos muita coisa para ver. Tipo, eu nunca ouvi você cantar daquela forma antes.
Sim, isso é verdade. É uma parte muito, muito aguda, um soprano e você precisa estar muito confiante para poder se lançar no mar desta forma… As palavras també-

(Interrompe) Se lançar em alto mar! Eu uso essa expressão sempre que alguém vem e me pergunta “você gostou do álbum?” e eu digo “ah, foi bom, me deixou em alto mar”.
Sim, mas é agudo mesmo!

Sim, é agudo, mas um agudo puro, que você consegue manter por um longo tempo e sem esforços.
Sim, obrigada.

Então, você já agradeceu e está tipo “ótimo, siga a vida, Zane”. Então, estou ansioso para ver o que as pessoas terão a dizer sobre essa música, acho que elas vão amar. Todo mundo está vindo para cima de mim agora, eles querem saber mais algumas coisas: você vai fazer alguma sessão de autógrafos em cidades ou outros países? Em Londres, especificamente?
Eu não farei sessões de autógrafos, mas espero fazer alguns shows no Festival Amoeba e algumas paradas em Londres. Eu adoraria voltar para o Amoeba e fazer como fizemos com o “Born to Die”, chegar lá e cantar algumas músicas do disco…

É tão legal quando você chega ao Amoeba!
É muito divertido!

Eu levei o filho de nove anos de idade da minha namorada lá pela primeira vez e ele ficou super animado, o cérebro dele ficou espalhado no chão.
Sim, é incrível! Ele é como você, um amante da música?

Sim, meus dois filhos gostam muito de música, mas ele muito mais, ele ama All-stars e patins…
Sério? Voltado para o rock, então!

Não tanto rock, ele é mais ligado na energia do negócio. Meu filho é mais velho gosta mais de pop e músicas deste estilo. Mas os dois amaram muito a experiência! Você gostaria de voltar a Portugal? As pessoas querem saber.
Com certeza!

Claro, né! Você ia responder “não”? As pessoas querem você de volta no Texas! Você tem histórias de lá, alguma lembrança específica?
(Rindo) Nossa, não assim de cabeça exceto por… Não, acho que não.

Eles querem saber a respeito de “Roses Bloom”. O que é “Roses Bloom”?
“Roses Bloom”, essa era outra música que também estaria no disco-

(Interrompe) Você precisa parar de falar para as pessoas acerca da existência dessas músicas, não deixe seus fãs obcecados! Ela não entrou, então?
Eu sei, mas ela vai achar seu lugar. No momento está no chão.

Lana, obrigado.
Obrigada a você!

Foi muito divertido passar esse tempo com você hoje, de verdade.
Obrigada, Zane, e obrigada por tocar as duas músicas novas! “Summer Bummer” é de longe uma das minhas músicas favoritas que escrevi em muito tempo.

Ela é brilhante, nós amamos as duas, as achamos incríveis. E as pessoas estão chegando aqui e compartilhando qual delas é a favorita deles também, o que é incrível, você ter fãs que são capazes de dizer “eu amo ‘Groupie Love’!” Mas sabe, eu acho que preciso concordar com você, eu tenho uma ligeira queda maior por “Summer Bummer”.
É por causa daquela parte no piano!

Sabe do que ela me lembra também? Vou até tentar fazer um pequeno remix aqui, só não sei se vai funcionar, Deus me ajude. Me lembra um pouco disso: *faz um som inaudível no estúdio*
Ah, sim!

Graças ao A$AP Rocky conseguimos esses raps maravilhosos! Senhoras e senhoras, Lana Del Rey, obrigado novamente pela presença!
Obrigada a você!

 

Por Zane Lowe
Tradução por Wesley Lima

Confira fotos de Lana na rádio em nossa galeria.

Redação LDRA
Down on the west coast. They got a saying...
TOPO