Quando Lana Del Rey encontrou Daniel Johnston: Por dentro da première de L.A. do ‘Hi, How Are You Daniel Johnston?’, confira o artigo da Billboard

por / terça-feira, 10 novembro 2015 / Publicado emNotícias

lana-del-rey-Daniel-Johnston

Neste sábado (07), aconteceu na MAMA Gallery, em Los Angeles, a première do curta-metragem ‘Hi, How Are You Daniel Johnston?’.  E a Billboard esteve presente no evento e conversou com Lana Del Rey e Gabriel Sunday, o diretor do filme. Confira tradução do artigo:


Quando Lana Del Rey encontrou Daniel Johnston: Dentro da première de L.A. do ‘Hi, How Are You Daniel Johnston?’

Fale com a equipe criativa por trás do novo curta de Daniel Johnston, ‘Hi, How Are you Daniel Johnston?‘ e eles te dirão que foi tudo um trabalho de amor. Com isso em mente, é compreensível que o projeto demorou cerca de oito anos pra se desenvolver. Mas nesse tempo, encontrou seus caminhos para transcender qualquer releitura biográfica de uma das mentes criativas mais amadas da América, apesar de conturbada, e também contando com alguns suportes notáveis ao longo do caminho. Com a ajuda de uma campanha de financiamento coletivo apoiada por Lana Del Rey, Mac Miller e centenas de outros, a obra de 15 minutos finalmente está completa e foi compartilhada publicamente pela primeira vez em uma première sábado à noite na MAMA Gallery, em Los Angeles.

O evento foi mais propriamente uma mostra de arte que uma festa suntuosa, com os primeiros desenhos e pinturas de Johnston, dos anos de 1979 a 1989 (a época quando ele criou seu icônico álbum Hi, How Are You) pendurados pelo espaço. Johnston se sentou num canto da galeria por quase toda a noite, parecendo confortável em um sofá macio em meio a uma instalação parecida com uma sala de estar, que foi comprada em um brechó pelo diretor e co-estrela do filme, Gabriel Sunday, para se assemelhar a atual casa de Johnston em Waller, Texas.

“Como você pode ver, ele está muito confortável aqui”, Sunday disse. “Ele tem a sua Coca-cola, ele tem seus gummy bears sem açúcar e ele tem seus cigarros e ele tem seus órgãos acorde caso ele queira tocar algo”.

Z

A sala de estar de Johnston é um elemento chave para Hi, How Are you Daniel Johnston?, já que o filme pretende trazer o público para o interior da cabeça esquizofrênica do artista com esse local agindo como uma prisão para seu processo criativo. No curta, Daniel faz ele mesmo no tempo moderno e desenvolve conversas com uma versão de 1983  dele mesmo oferecendo conselhos para o seu eu antigo, protagonizado por Sunday. Enquanto isso, Soko interpreta o amor perdido de Johnston, Laurie, um espírito assombrado de inspiração inatingível. É um tanto bobo e sombrio, a sugestão sorridente de Daniel de refrigerante e sorvete para ajudar a depressão, bem como a recomendação séria que faz ao seu eu mais novo para que escolha a luz ao invés das trevas, para as quais ele foi vítima.

O curta-metragem de 15 minutos foi reproduzido repetidamente durante a noite no fundo, projetado em duas paredes divididas por um canto de uma forma envolvente e experimental – sequências de ação ao vivo reproduzidas na parede da esquerda, enquanto sequências animadas preenchiam o lado direito. Na frente estava uma tv retro reproduzindo os mesmos programas da sala de estar de Johnston no filme, trazendo o público para a cena com vigor. Com dezenas de pessoas enchendo a sala para sentar no chão ou em pé para assistir o filme, o surrealismo foi acentuado pela real presença de Johnston na sala, distorcendo ainda mais qualquer senso de localização.

“Isso me mudou. Foi triste. Me tocou.” Disse Del Rey depois. “Haviam tantas dimensões em uma sala, o passado, o presente ao mesmo tempo e então aqui está ele assistindo a si mesmo, quer dizer, eu acho que a única coisa que eu esperava é que ele entendesse que enquanto ele ainda está em casa sozinho fazendo sua arte – ele diz que escreve todo dia – que ele saiba que ele realmente fez diferença na vida das pessoas. Ele fez diferença na minha.”

11820524_506477519522046_463805780_n

A própria Lana não é uma estranha em ‘brooding creativity’ e ela diz que inicialmente ela sentiu uma conexão com Johnston depois de assistir o documentário ‘The Devil and Daniel Johnston‘, em 2005. Depois de descobrir a campanha Kickstarter de 2013 que Gabriel Sunday lançou para terminar o projeto, ela disse que se sentiu atraída a se envolver. No final, isso significou contribuir com um cover de ‘Some Things Last a Long Time‘, de Johnston para o filme, que toca durante os créditos finais.

Del Rey explicou que sua própria identificação com a história de Johnson como “tentando escolher entre a escuridão ou a luz e meio que participando no caminho que você vai tomar, para a habilidade limitada que você pode“. Ela também disse que “Eu não sabia que esse filme mexeria tanto comigo, mas o fato de que é uma progressão, me comove mais ainda.”

A première foi também a primeira vez que Daniel e Lana se encontraram, a qual cantora disse que ficou vermelha de tanta excitação nervosa. “Eu acho que ele era como uma paixão uma vez há uma década”, ela disse.

0jFfQne20hsSunday descreveu o encontro dos dois músicos como “um total momento de fã” do lado de Del Rey, e adicionou, “Foi muito maravilhoso e meigo”.

Através da noite, o Daniel Johnston ficou a maior parte em seu canto na sala de estar enquanto as pessoas se aproximavam dele. Em relação a seu próprio relacionamento com Johnston, Sunday explicou que o grande avanço foi quando ele começou a falar com o músico imitando sua voz, o que, na verdade, levou ao conceito criativo do filme.

“Eu sou um imitador então eu estava fazendo sua voz e foi aí que colocamos a ideia junto para fazer o projeto, e ele disse ‘Você toca piano?’ eu respondi ‘Bem, eu meio que comecei a aprender porque eu queria tocar suas músicas’, e então ele ‘Oh, toque uma música’. E eu fiz, e fiz naturalmente com sua voz, e ele estava quase morrendo, ele achou hilário. Então eu comecei a fazer essas coisas perto dele”. Sunday disse. “Ele começou a dizer coisas como ‘Cara, quer uns cheeseburgers?’ e eu [na voz de Johnston] Claro cara, eu adoraria alguns cheeseburgers!”

A partir disso, Gabriel Sunday disse, Johnston realmente começou a chamá-lo de Dan e eventualmente após passarem mais tempo juntos a distinção ficou mais difícil.

“Houve essa vez em que estávamos em um carro e havia uma tempestade”, disse Sunday, “tinham esses sapos pulando na estrada, era estranho como Magnólia, e ele me deu esse conselho, de Daniel para Daniel, e eu fiquei ‘Nossa, esse é um momento louco e seria realmente um filme legal’. Era alguma coisa como no filme, indo até a luz e a escuridão – esse era seu conselho.”

Gabriel Sunday disse que ele não fazia ideia de como o conceito poderia funcionar, com Johnston sendo ele mesmo, falando com uma versão mais nova dele, e não fim, o filme praticamente se conectou inteiramente na edição. Mas funcionou, e ele espera que as pessoas compreendam melhor Johnston, seu passado e seu presente.

“Você não pode escrever um roteiro e simplesmente dar para ele e fazer com que ele leia; você precisa que seja natural. No processo de edição, havia uma formação completa da história,” Sunday disse de seu trabalho. “Porém eu só queria que fosse possível fazer como um tributo… Como uma atualização de ‘aqui está Dan agora.’

Daniel Johnston parecia muito feliz com o filme também. Ele disse “Foi um dos meu filmes preferidos que foram feitos. Foi melhor do que a maior parte deles.”

“Foi hilário,” ele completou. “Eu fiquei surpreso de como ficou bom.”

 

Por Colin Stutz
Traduzido por Cristine Sol e Yeda Salomão

 

Redação LDRA
Down on the west coast. They got a saying...
TOPO