Put Me In… Old Music | 10 músicas antigas que são a cara da Lana Del Rey e você precisa conhecer

por / quinta-feira, 02 abril 2015 / Publicado emPut Me In

IMAGEM POST LDRA

Na música de Lana Del Rey, constantemente deparamos com referências a artistas e canções de um outro tempo e por muitas vezes ficamos nos perguntando quais as maiores inspirações da cantora e se compartilhamos de um mesmo gosto. Seja com aquele rock da era de ouro ou com um jazz calmo e antigo, nós adoramos aprender mais coisas e desfrutar um pouquinho mais de um novo mundo — e é por isso que o Put Me In de hoje vai desbravar essas influências, seja as que a Lana frequentemente cita ou as que ela poderia algum dia citar. Vamos ouvir um pouco de música?

 

10. April in Paris, Ella Fitzgerald e Louis Armstrong

 

É claro que vamos começar com o clássico e maravilhoso Louis Armstrong (quem nunca ouviu sua maravilhosa versão de La Vie En Rose?) junto de uma das mais adoradas cantoras de jazz da história, Ella Fitzgerald. April in Paris foi originalmente escrita em 1932 para uma peça da Broadway, mas ela rapidamente tomou proporções imensas e conquistou o coração de todo o mundo — inclusive já foi título e canção-tema de um filme de 1952 estrelado pela linda Doris Day. Extremamente doce e suave, nessa versão da canção você consegue flutuar junto do piano e do sax, visualizando a beleza primaveril de Paris numa tarde de feriado deliciosa. Lembra o lado romântico de Lana, não lembra? Serena, chega como quem não quer nada e, quando você percebe, já transformou meras letras num hino. Apreciem sem moderação.

April in Paris

April in Paris
Chestnuts in blossom
Holiday tables
Under the trees
April in Paris
This is the feeling
No one can ever reprise
I never knew the charm of spring
I never met it face to face
I never knew my heart could sing
I never missed a warm embrace
Till April in Paris,
Whom can I run to?
What have you done to my heart?

Abril em Paris

Abril em Paris
Castanhas em flores
Mesas de piquenique
Sob as árvores
Abril em Paris
Essa é uma sensação
Que ninguém jamais pode reprisar
Eu nunca conheci o charme da primavera
Eu nunca a conheci cara a cara
Eu nunca soube que o meu coração poderia cantar
Eu nunca perdi um abraço aconchegante
Até abril em Paris
Para quem eu posso correr?
O que você fez com o meu coração?

 

09. Moon River, Frank Sinatra

Ah, meus caros, se April in Paris abriu seu coração, Moon River com certeza irá enchê-lo pra você. Lançada em meados de 1960, a canção é a trilha sonora que embala um dos filmes mais adorados de Hollywood e estrelado por Audrey Hepburn, “Bonequinha de Luxo”. Ganhadora do Oscar por Melhor Canção Original, a música sonha — em tons suaves de uma orquestra — com a liberdade quando o eu-lírico observa o rio fluir com saudosismo e um anseio pela vida simples sem qualquer jaula o mantendo preso. O verso “meu amigo Huckleberry, rio da lua e eu”, inclusive, é uma referência ao clássico da literatura norte-americana Huckleberry Finn, cujo personagem principal tem os mesmos delírios de vida e liberdade — ambos procurando o fim do mesmo arco-íris. Quer algo mais Lana Del Rey do que essa obra-prima? Libertando-se como em Ride e I Can Fly, aqui temos suavidade, amor e uma poesia incessante em ode à vida como ela é.

Moon River

Moon river, wider than a mile
I’m crossin’ you in style some day
Old dream maker, you heartbreaker
Wherever you’re goin’, I’m goin’ your way

Two drifters, off to see the world
There’s such a lot of world to see
We’re after the same rainbow’s end, waitin’ ‘round the bend
My huckleberry friend, Moon River, and me

Two drifters, off to see the world
There’s such a lot of world to see
We’re after the same rainbow’s end, waitin’ ‘round the bend
My huckleberry friend, Moon River, and me

Rio da Lua

Rio da lua, mais selvagem que uma milha
Estarei atravessando você com estilo qualquer dia
Velho criador de sonhos, seu destruidor de corações
Pra onde quer que você esteja indo, estou indo com você

Dois viajantes, à fora para ver o mundo
Há tanto do mundo para se ver
Nós estamos procurando o fim do mesmo arco-íris, esperando em sua curva
Meu amigo Huckleberry, o rio da lua e eu

Dois viajantes, à fora para ver o mundo
Há tanto do mundo para se ver
Nós estamos procurando o fim do mesmo arco-íris, esperando em sua curva
Meu amigo Huckleberry, o rio da lua e eu

 

08. Famous Blue Raincoat, Leonard Cohen

Nós já sabemos que Lana adora Leonard Cohen desde que ela fez um cover lindo de uma de suas canções, Chelsea Hotel No. 2.  Também com uma melodia melancólica e suave ao violão, Famous Blue Raincoat fala sobre um triângulo amoroso entre Leonard, uma mulher chamada Jane e alguém citado como “meu irmão, meu assassino”, a quem à música em forma de carta é endereçada. Com uma Nova York cinza, noturna e chuvosa como cenário é irresistível pensar no álbum Ultraviolence e toda a aura tão semelhante que ele carrega, derramando poesia e melancolia de histórias passadas. Provavelmente é uma daquelas músicas que a Lana coloca na agulha do vinil e escuta numa noite solitária, ao redor de cigarros, lembranças e pingos de chuva na janela.

Famous Blue Raincoat

It’s four in the morning, the end of december
I’m writing you now just to see if you’re better
New York is cold, but I like where I’m living
There’s music on Clinton Street all through the evening
I hear that you’re building your little house deep in the desert
You’re living for nothing now, I hope you’re keeping some kind of record

Yes, and jane came by with a lock of your hair
She said that you gave it to her
That night that you planned to go clear
Did you ever go clear?

On the last time we saw you, you looked so much older
Your famous blue raincoat was torn at the shoulder
You’d been to the station to meet every train
And you came home without Lili Marlene

And you treated my woman to a flake of your life
And when she came back she was nobody’s wife

Well I see you there with the rose in your teeth
One more thin gypsy thief
Well I see jane’s awake

She sends her regards

And what can I tell you my brother, my killer
What can I possibly say?
I guess that I miss you, I guess I forgive you
I’m glad you stood in my way

If you ever come by here, for Jane or for me
Well your enemy is sleeping, and his woman is free
Yes, and thanks, for the trouble you took from her eyes
I thought it was there for good so I never tried
And jane came by with a lock of your hair
She said that you gave it to her
That night that you planned to go clear

Sincerely, l. Cohen

Famosa Capa de Chuva Azul

São quatro da manhã, final de dezembro
Estou escrevendo pra você agora simplesmente pra saber se você está melhor
Nova York está fria, mas eu gosto de onde estou morando
Há uma música na rua Clinton tocando a noite toda
Eu ouço que você está contruindo sua casinha no fundo do deserto
Você está vivendo para nada agora, espero que você esteja fazendo algum tipo de registro

Sim, e Jane passou aqui com um cacho de cabelo seu
Ela disse que você o deu pra ela
Naquela noite em que você planejava ficar limpo
Algum dia você ficou limpo?

Na última vez que o vimos, você parecia tão mais velho
Sua famosa capa de chuva azul estava rasgada no ombro
Você esteve na estação para encontrar cada trem
E você veio pra casa sem a Lili Marleen

E você tratou minha mulher como uma faísca da sua vida
E quando ela voltou, ela era a esposa de ninguém

Bem, eu vejo que você com uma rosa nos dentes
Mais um magro cigano ladrão
Bem, eu vejo que Jane está acordada

Ela manda lembranças

E o que eu posso dizer a você, meu irmão, meu assassinho
O que eu posso dizer?
Eu acho que sinto sua falta, eu acho que perdoo você
Estou feliz por você ter ficado em meu caminho

Se você algum dia passar por aqui, por Jane ou por mim
Bem, seu inimigo está dormindo e a mulher dele está livre
Sim, e obrigada pelos problemas que você tirou dos olhos dela
Eu achei que eles ficariam lá para sempre, então eu nunca tentei
E Jane passou por aqui com um cacho de cabelo seu
Ela disse que você o deu pra ela
Naquela noite que você planejava ficar limpo

Sinceramente, eu. Cohen.

 

07. La Vie En Rose, Edith Piaf

“Quando ele me toma em seus braços, ele me fala baixinho: ‘Vejo a vida cor-de-rosa!’…” Vamos da Nova York cinza para a Paris cor de rosa? Oui ou claro? Edith Piaf é com certeza não só um ícone da música francesa, mas também da música mundial e não é pra menos que deve ser uma daquelas cantoras que Lana vira e mexe relembra! Lançada em 1945, essa delícia em forma de canção narra o amor puro que faz você sorrir feito um bobo e querer dançar ao estilo Singing In The Rain, sabe? Quando aquele boy diz no seu ouvido baixinho que vê o mundo diferente quando está com você. Exprimindo o estilo suave e romântico que Del Rey constantemente busca, La Vie En Rose poderia ser até um cover feito por ela — e se você curtir, ouça a versão em inglês do ícone Louis Armstrong ou se encante com Audrey Hepburn cantarolando a música em francês no filme Sabrina, de 1954. É de suspirar!

La Vie En Rose

Des yeux qui font baisser les miens,
Un rire qui se perd sur sa bouche,
Voilà le portrait sans retouche
De l’homme auquel j’appartiens

Quand il me prend dans ses bras
Il me parle tout bas,
Je vois la vie en rose.
Il me dit des mots d’amour,
Des mots de tous les jours,
Et ça me fait quelque chose.
Il est entré dans mon coeur
Une part de bonheur
Dont je connais la cause.
C’est lui pour moi,
Moi pour lui dans la vie,
Il me l’a dit, l’a juré
Pour la vie.
Et dès que je l’aperçois
Alors je sens en moi
Mon coeur qui bat

Des nuits d’amour à plus finir
Un grand bonheur qui prend sa place
Des ennuis des chagrins s’effacent
Heureux, heureux à mourir.

Quand il me prend dans ses bras
Il me parle tout bas,
Je vois la vie en rose.
Il me dit des mots d’amour,
Des mots de tous les jours,
Et ça me fait quelque chose.
Il est entré dans mon coeur
Une part de bonheur
Donc je connais la cause.
C’est toi pour moi,
Moi pour toi dans la vie,
Il me l’a dit, l’a juré
Pour la vie.
Et dès que je l’aperçois
Alors je sens en moi
Mon coeur qui bat

A Vida Cor-de-Rosa

Olhos que fazem baixar os meus
Um riso que se perde em sua boca
Aí está o retrato sem retoque
Do Homem a quem eu pertenço

Quando ele me toma em seus braços
Ele me fala baixinho
“Vejo a vida cor-de-rosa”
Ele me diz palavras de amor
Palavras de todos os dias
E isso me toca
Entrou no meu coração
Um pouco de felicidade
Da qual eu conheço a causa
É ele pra mim,
Eu pra ele na vida,
Ele me disse, jurou
Pela vida.
É assim que eu o vejo
Então sinto em mim
Meu coração que bate

Noites de amor que não acabam mais
Uma grande felicidade que toma seu lugar
Os aborrecimentos e as tristezas se apagam
Feliz, feliz até morrer

Quando ele me toma em seus braços
Ele me fala baixinho
“Vejo a vida cor-de-rosa”
Ele me diz palavras de amor
Palavras de todos os dias
E isso me toca
Entrou no meu coração
Um pouco de felicidade
Da qual eu conheço a causa
É ele pra mim,
Eu pra ele na vida,
Ele me disse, jurou
Pela vida.
É assim que eu o vejo
Então sinto em mim
Meu coração que bate

 

06. You Are My Sunshine, Johnny Cash

Agora vamos pro folk? Essa canção deliciosamente deliciosa que já foi declarada uma das músicas oficiais do estado da Louisiana foi gravada primeiramente lá em 1939 e regravada inúmeras e inúmeras vezes por grandes nomes da música — e aqui vocês podem ouvir a versão do clássico Johnny Cash, o pai do country, do folk, “o homem de preto” que tem o coração dos EUA e do mundo. Tristonha e capaz de fazer você se arrepiar com essa voz profunda do Cash e essa letra simples e ainda assim maravilhosa, é impossível você não se pegar cantando “you are my sunshine, my only sunshine, you make me happy when skies are grey…”. E caso você seja fã de Katy Perry, essa é a música que toca naquele finalzinho do clipe de The One That Got Away — sim, aquele final que você chora litros  — mas sendo fãs de Lana Del Rey, logo é notável a semelhança dos versos com algumas canções mais antigas (como Pawn Shop Blues) e imaginar um cover dessa canção em sua voz. Podem chorar, suspirar ou simplesmente cantarolar juntos, é contagiante!

You Are My Sunshine

The other night, dear, as I lay sleeping
I dreamed I held you in my arms
When I awoke, dear, I was mistaken
So I bowed my head and I cried

You are my sunshine, my only sunshine
You make me happy when skies are grey
You’ll never know, dear, how much I love you
Please, don’t take my sunshine away

I’ve always loved you and made you happy
And nothing else could come between
But now you’ve left me to love another
You have shattered all my dreams

You are my sunshine, my only sunshine
You make me happy when skies are grey
You’ll never know, dear, how much I love you
Please, don’t take my sunshine away

Você é Meu Raio de Sol

Numa outra noite, querida, enquanto eu dormia
Eu sonhei que segurava você em meus braços
Quando eu acordei, querida, eu estava enganado
Então abaixei minha cabeça e chorei

Você é meu raio de sol, meu único raio de sol
Você me faz feliz quando o céu está nublado
Você nunca irá saber, querida, o quanto eu te amo
Por favor, não leva embora meu raio de sol

Eu sempre te amei e a fiz feliz
E nada mais podia nos atrapalhar
Mas agora você me deixou por outro amor
Você esmagou todos os meus sonhos

Você é meu raio de sol, meu único raio de sol
Você me faz feliz quando o céu está nublado
Você nunca irá saber, querida, o quanto eu te amo
Por favor, não leva embora meu raio de sol

 

05. I Wanna Be Loved By You, Marilyn Monroe

Agora vamos para a mãe monstra! (n pera) Risos. É claro que a “mother” da Lana não poderia ficar de fora, principalmente com essa música que é a cara dela! Toda em um jazz suave, com uma letra celebrando o amor com “eu quero ser amada apenas por você!” e esse tom tranquilo, baixo e sorridente, podemos nos lembrar quase imediatamente do cover/homenagem que Del Rey fez à Marilyn no início do clipe de National Anthem, cantando Happy Birthday Mr. President com uma voz — e até os melismas e tons nos finais de versos — parecidíssimos com a voz da loura! I Wanna Be Loved By You foi um verdadeiro sucesso, inclusive por fazer parte de um dos melhores e mais elogiados filmes de comédia de todos os tempos, “Quanto Mais Quente Melhor“, em que Monroe interpreta a cantora de um grupo de garotas que arrancam suspiros.

I Wanna Be Loved By You

I wanna be loved by you, just you,
And nobody else but you,
I wanna be loved by you, alone!
Boop-boop-de-boop!

I wanna be kissed by you, just you,
Nobody else but you,
I wanna be kissed by you, alone!

I couldn’t aspire,
To anything higher,
Than, to feel the desire,
To make you my own!
Ba-dum-ba-dum-ba-doodly-dum-boo

I wanna be loved by you, just you,
And nobody else but you,
I wanna be loved by you, alone!

I couldn’t aspire,
To anything higher,
Than to feel the desire,
To make you my own,
Ba-dum-ba-dum-ba-doodly-dum-boo!

I wanna be loved by you, just you,
Nobody else but you,
I wanna be loved by you,
ba-deedly-deedly-deedly-dum-ba-boop-bee-doop

Eu Quero Ser Amada Por Você

Eu quero ser amada por você, só você
E ninguém mais além de você
Eu quero ser amada por você, sozinha!
Boop-boop-de-boop!

Eu quero ser beijada por você, só você
Ninguém além de você
Eu quero ser beijada por você, sozinha!

Eu não poderia querer
Nada grande demais
A não ser sentir o desejo
De fazer você ser meu!
Ba-dum-ba-dum-ba-doodly-dum-boo

Eu quero ser amada por você, só você
E ninguém mais além de você
Eu quero ser amada por você, sozinha!

Eu não poderia querer
Nada grande demais
A não ser sentir o desejo
De fazer você ser meu!
Ba-dum-ba-dum-ba-doodly-dum-boo!

Eu quero ser amada por você, só você
E ninguém mais além de você
Eu quero ser amada por você
ba-deedly-deedly-deedly-dum-ba-boop-bee-doop

 

04. Something Stupid, Nancy Sinatra e Frank Sinatra

Segundo Lana Del Rey, se ela pudesse fazer um dueto com qualquer artista, vivo ou morto, seria com certeza com Frank Sinatra — e, no início de sua carreira, ela constantemente se definia como uma “Nancy Sinatra gângster” e, inclusive, fez um cover de uma música da moça que todos nós conhecemos, a deliciosa Summer Wine. Ficou claro que ela é fã do papai Sinatra e da filha dele, certo? Então esse dueto entre os dois não poderia faltar na lista! Dizem que num belo dia Frank mostrou a canção Something Stupid para Lee Hazlewood, produtor de Nancy (e também o cara com quem ela fez um dueto na antiga versão de Summer Wine), que simplesmente adorou o som e disse: “Eu amei e, se você não cantar essa música com a Nancy, eu vou cantar!” — e aí está o resultado! Com uma melodia tããão anos 60/70, temos a história de um casal que se ama, mas tem medo de dizer “eu te amo” e estragar tudo. Fala sério, Lana, não dava pra também ter feito o cover dessa música com o Barrie antes de terminarem o namoro? Eu quero!

Something Stupid

I know I stand in line,
Until you think you have the time
To spend an evening with me

And if we go some place to dance
I know that there’s a chance
You won’t be leaving with me

And afterwards we drop into a quiet little place
And have a drink or two
And then I go and spoil it all
By saying something stupid
Like: “I love you”

I can see it in your eyes
That you still despise the same old lines
You heard the night before

And though it’s just a line to you
For me it’s true
It never seemed so right before

I practice every day
To find some clever lines to say
To make the meaning come true

But then I think I’ll wait
Until the evening gets late
That I’m alone with you

The time is right
Your perfume fills my head
The stars get red
And oh, the night’s so blue

And then I go and spoil it all
By saying something stupid
Like: “I love you”

The time is right
Your perfume fills my head
The stars get red
And oh, the night’s so blue

And then I go and spoil it all
By saying something stupid
Like: “I love you”

“I love you”
“I love you”
“I love you”

Algo Estúpido

Eu sei que eu fiquei na linha
Até você achar que estava na hora
De passar uma noite comigo

E se nós formos a algum lugar pra dançar
Eu sei que há uma chance
De você não ir embora comigo

E depois nós vamos pra um lugarzinho aconchegante
E pedimos um drinque ou dois
E então eu vou e estrago tudo
Dizendo algo estúpido
Como: “eu te amo”

Eu posso ver nos seus olhos
Que você ainda odeia as mesmas frases
Que você ouviu em outras noites

E apesar de ser só uma frase pra você
Pra mim é verdadeiro
Nunca pareceu tão certo antes

Eu tento todo dia
Encontrar umas frases inteligentes pra dizer
Pra fazer o significado parecer real

Mas então eu acho que vou esperar
Até a noite terminar
E eu estiver sozinho com você

É o momento certo
Seu perfume preenche minha cabeça
As estrelas ficam vermelhas
E, oh, a noite é tão azul

E então eu vou e estrago tudo
Dizendo algo estúpido
Como: “eu te amo”

É o momento certo
Seu perfume preenche minha cabeça
As estrelas ficam vermelhas
E, oh, a noite é tão azul

E então eu vou e estrago tudo
Dizendo algo estúpido
Como: “eu te amo”

“Eu te amo”
“Eu te amo”
“Eu te amo”

 

03. Good Morning Heartache, Billie Holiday

E falando em Summer Wine… Lembram daquela música gostosinha que toca ao final do clipe, misturado ao som das ondas do oceano? Pois então, ela é cantada por ninguém mais, ninguém menos que Billie Holiday — a cantora de jazz que Lana é tão fã que chegou a tatuar seu nome na clavícula, ao lado do nome de Nina Simone (que não irá entrar nessa lista porque é simplesmente óbvio que Del Rey é viciada nela desde o cover de The Other Woman e o futuro cover que teremos em Honeymoon, Don’t Let Me Be Misunderstood; então recomendo toda a discografia dessa mulher! Risos). Mas voltando a Billie, o que podemos dizer? Essa voz fodástica que dá vontade de abraçar, essa melodia jazzy, esses versos dizendo “bom dia, dor no peito, quais são as novas?”; aquela dor no coração que a gente aprende a conviver e que é frequente nas nossas vidas e nas canções de Lana Del Rey. Fechem os olhos e desfrutem.

Good Morning Heartache

Good morning heartache
You old gloomy sight
Good morning heartache
Thought we said goodbye last night
I turned and tossed until it seems you heve gone
But here you are with the dawn
Wish I forget you, but you’re here to stay
It seems I met you
When my love went away
Now everyday I stop I’m saying to you
Good morning heartache what’s new

Stop haunting me now
Can’t shake you nohow
Just leave me alone
I’ve got those Monday blues
Straight to Sunday blues
Good morning heartache
Here we go again
Good morning heartache
You’re the one
Who knows me well
Might as well get use to you hanging around
Good morning heartache
Sit down

Stop haunting me now
Can’t shake you nohow
Just leave me alone
I’ve got those Monday blues
Straight to Sunday blues
Good morning heartache
Here we go again
Good morning heartache
You’re the one
Who knows me well
Might as well get use to you hanging around
Good morning heartache
Sit down

Bom dia, Dor no Peito

Bom dia, dor no peito
Sua velha visão sombria
Bom dia, dor no peito
Apesar de termos dito adeus na noite passada
Eu me virei e me joguei até parecer que você havia partido
Mas aqui está você com o amanhecer
Queria te esquecer, mas você está aqui
Parece que eu a conheci
Quando meu amor se foi
Agora todos os dias eu paro e digo a você
Bom dia, dor no peito, quais são as novas?

Pare de me assombrar agora
Não consigo de mandar pra longe
Só me deixe sozinha
Eu tenho aquelas tristezas de segunda
Que vão direto pras tristezas de domingo
Bom dia, dor no peito
Aqui vamos nós outra vez
Bom dia, dor no peito
Você é a única
Que me conhece bem
Talvez tão bem que até me acostumo com você andando por aí
Bom dia, dor no peito
Senta aí!

Pare de me assombrar agora
Não consigo de mandar pra longe
Só me deixe sozinha
Eu tenho aquelas tristezas de segunda
Que vão direto pras tristezas de domingo
Bom dia, dor no peito
Aqui vamos nós outra vez
Bom dia, dor no peito
Você é a única
Que me conhece bem
Talvez tão bem que até me acostumo com você andando por aí
Bom dia, dor no peito
Senta aí!

 

02. Young And Beautiful, Elvis Presley

E não é que o nome dessa canção é Young And Beautiful igualzinha à canção da Lana? E aparentemente não foi mera coincidência. Fã declarada de Elvis Presley, além de citá-lo em várias de suas músicas, a cantora teve como inspiração para a trilha sonora de O Grande Gatsby essa belíssima música do rei do rock! Com os versos “pegue esse meu coração que eu lhe ofereço e nunca me liberte, então você será eternamente jovem e bela pra mim”, você se pergunta: onde encomendo um daddy ao estilo Elvis, produção? Soando como uma reposta à canção de Del Rey, ela foi escrita para o filme Prisioneiro do Rock, estrelado pelo rei — um musical delicioso e recomendadíssimo. Então o que estão esperando pra dar o play?

Young And Beautiful

You’re so young
And beautiful
And I love you so
Your lips so red
Your eyes that shine
Shame the stars that glow

So fill these lonely arms of mine
And kiss me tenderly
Then you’ll be forever young
And beautiful to me

You’re so young
And beautiful
You’re everything I love
Your angel smile
Your gentle touch
Are all I’m dreaming of

So take this heart I offer you
And never set me free
Then you’ll be forever young
And beautiful to me

Jovem e Bela

Você é tão jovem
E bela
E eu te amo tanto
Seus lábios tão vermelhos
Seus olhos que cintilam
Envergonham as estrelas que brilham

Então preencha esses meus braços solitários
E me beije ternamente
Então você será eternamente jovem
E bela pra mim

Você é tão jovem
E bela
Você é tudo o que eu amo
Seu sorriso angelical
Seu toque gentil
São tudo o que eu sonho

Então pegue esse coração que eu lhe ofereço
E nunca me liberte
Então você será eternamente jovem
E bela pra mim

 

01. My Heart Belongs To Daddy, Marilyn Monroe

Sim, ela de novo porque ela é Marilyn Monroe e não qualquer uma, manas! Inicialmente composta por Cole Porter (sim, o pai, manda-chuva, todo poderoso e ícone compositor de jazz) para uma peça de teatro, a música foi revitalizada para o filme Adorável Pecadora, uma comédia musical estrelada por Marilyn em 1960. Divertida, safadinha e risonha, a canção logo começa com: “Meu nome é.. Lolita! E eu não deveria brincar com garotos!” — e na mesma hora lembramos da música Lolita, do álbum Born to Die e inspirada no clássico livro de Nabokov que todos tanto amamos! E então a voz suave e brincalhona de Monroe narra suas peripécias com um homem mais velho que ela simplesmente ama, e ainda dá conselhos de como escapar dos garotos mais novos só pra pegar aquele daddy maravilhoso. Seria pedir demais essa música na voz da Lana? Seria simplesmente orgástica e… é claro que deixaríamos no repeat eternamente! Então deem o play e se deliciem com a #1 da lista e nossa queridíssima Marilyn Monroe.

My Heart Belongs to Daddy

My name is Lolita
And uh…I’m not supposed to play…with boys!
What?
uh uh!
mon cur eta Papa
You know, le propritaire

While tearing off a game of golf
I may make a play for the caddy
But when I do, I don’t follow through
‘Cause my heart belongs to Daddy

If I invite a boy some night
To dine on my fine Finnan haddie
I just adore, his asking for more
But, my heart belongs to Daddy

Yes, my heart belongs to Daddy
So I simply couldn’t be bad
Yes, my heart belongs to Daddy
Da, da, da, da, da, da, da, da, dad

So I want to warn you, laddie
Though I know that you’re perfectly swell
That my heart belongs to Daddy
‘Cause my Daddy, he treats it so

While tearing off a game of golf
I may make a play for the caddy
But when I do, I don’t follow through
Shoo do ga do, shoo do ga do, ooo, Daddy

If I invite a boy some night
To cook up a fine enchilada
Though Spanish rice is all very nice
Ba da, ba da, ba da, ba da, ba da, da da

Yes, my heart belongs to Daddy
So I simply couldn’t be bad
Yes, my heart belongs to my Daddy
Da, da, da, da, da, da, da, da, dad

So I want to warn you, laddie
Though I know that you’re perfectly swell
That my heart belongs to Daddy
‘Cause Daddy, my Daddy
My little ol’ Daddy treats it so

That little old man, he just treats it so good!

 

Meu Coração Pertence ao Papai

Meu nome é Lolita
E hã… Eu não deveria brincar… com garotos!
O quê?
Não não!
Meu coração é do papai
Você sabe, o proprietário

Enquanto disputamos uma partida de golfe
Eu posso dar uma colher de chá
Mas quando eu dou, eu não caio na dele
Porque meu coração pertence ao papai

Se eu convido um garoto numa noite qualquer
Para jantar meu delicioso bacalhau
Eu simplesmente adoro quando ele pede por mais
Mas meu coração pertence ao papai

Sim, meu coração pertence ao papai
Então eu simplesmente não poderia ser má
Sim, meu coração pertence ao papai
Pa, pa, pa, pa, pai

Então eu quero avisar você, mocinha
Apesar de eu saber que você é crescidinha
Que meu coração pertence ao papai
Porque meu papai deixa tudo tão…

Enquanto disputamos uma partida de golfe
Eu posso dar uma colher de chá
Mas quando eu dou, eu não caio na dele
Porque meu coração pertence ao papai
Shoo do ga do, shoo do ga do, ooo, papai

Se eu convido um garoto numa noite qualquer
Pra cozinhar uma ótima enchilada
Tirando o arroz espanhol é tudo muito bom
Ba da, ba da, ba da, ba da, ba da, da da

Sim, meu coração pertence ao papai
Então eu simplesmente não poderia ser má
Sim, meu coração pertence ao papai
Pa, pa, pa, pa, pai

Então eu quero avisar você, mocinha
Apesar de eu saber que você é crescidinha
Que meu coração pertence ao papai
Porque meu papai, meu papai
Meu papai velhinho deixa tudo tão…

Aquele velhinho deixa tudo tão bom!

 

Gostaram da lista de hoje? Hahaha’ Espero que tenham apreciado esses verdadeiros clássicos — e aproveitem para procurar mais, caso não conheçam! Mas e você que também já amava essas canções… teria mais algumas sugestões? Deixem nos comentários, nós amamos todos eles!

Raphaella Paiva
Escorpiana, 20 anos. Estudante de Letras - Português pela Universidade Federal de Goiás, escritora em pré-contrato e uma beatnik nascida na época errada. Descobriu Lana Del Rey em 2011 quando Video Games roubou seu coração, tornando-se uma tradutora, redatora e colunista que adora um teste do sofá no Addiction. Cinéfila que também ama jazz e blues, Pink Floyd, Arctic Monkeys, Kristen Stewart, Marilyn Monroe e qualquer coisa escrita ou filmada por Woody Allen.
  • Marilia Dias

    Ameeeeeeei, rapha! La vie en rose e I wanne be loved by you são minhas preferidas, mas a lista toda tá ótima! hahaha amei <3

  • Mauricio Montheiro

    parabens!!!!! mto mto mt bom!!! ! La vie en rose minha preferida!

  • Camila Novaes Maia

    Queria uma versão da Lana de Sealed with a Kiss, que tem várias versões, a mais famosa é a do Jason Donovan, seria perfeita na voz da Lana <3 Amei o artigo!

TOPO