Emile Haynie fala sobre Lana Del Rey e Ultraviolence em entrevista à Complex

por / quarta-feira, 25 fevereiro 2015 / Publicado emNotícias

Emile 1

No último dia 23 (fevereiro), Emile Haynie lançou o seu primeiro álbum, “We Fall”, que conta com a participação de Lana Del Rey na faixa “Wait for Life”. O produtor é responsável por vários sucessos musicais e também é conhecido por trabalhar com nomes de peso, mas somente agora lançou seu trabalho solo. Nessa semana, Emile concedeu uma entrevista à revista Complex, onde falou sobre seu novo álbum, vida pessoal e novos projetos. Na entrevista, há um comentário de Lana sobre o álbum de Emile:

 

Lana Del Rey concorda que a espera foi longa o suficiente para Haynie chegar aos holofotes. “A melhor coisa do mundo é ver alguém que sempre facilita as coisas para as outras pessoas conseguir criar algo que vem de seu próprio coração ou estética”, diz ela. “Eu não pude acreditar quando ouvi o disco dele — foi tão bom! Fiquei muito orgulhosa.”

 

Além disso, Emile também falou sobre não ter participado da produção do segundo álbum de estúdio de Lana Del Rey, o Ultraviolence, confira:

 

“Eu não quero insultar ninguém. Não trabalhar no segundo álbum de Lana, que é como uma irmã, e nós nos amamos. Foi um movimento pesado. Eu me senti terrível. Antes de ela conseguir com Dan e de tudo ter funcionado, houve alguns momentos tensos. Ela ficava muito chateada às vezes. Foi doloroso pra mim sentir como se eu estivesse deixando-a enforcada. Ela entendia a beleza da nossa relação, e ela sabia com o que eu estava lidando, ela sabia que eu tinha que fazer o que eu tinha que fazer, e ela foi muito compreensiva o tempo inteiro.

Nós nos conhecemos anos atrás apenas para fazermos músicas, mas agora se tornou muito mais que isso. Esse é o álbum dela, esse é o bebê dela. Ela apenas entendia amigavelmente o que eu estava fazendo e ela não se chateou. Ela cantou uma canção no meu álbum. Ela vinha, ouvia o meu álbum e me dava todos esses grandes conselhos.

Agradeço a Deus por ela. Aquilo foi difícil. Foi bem no começo, eu não sabia o que eu estava fazendo naquele momento. Ela tinha suas canções escritas. Ela escreveu seu álbum inteiro. Foi uma produção. Essa é a Lana, ela faz isso. Lana não faz a coisa genérica da co-escrita, ela se sentou e escreveu suas canções. Eu só sabia que eu tinha que escrever, e não foi um show de composição com ela – isso seria um show de produção. Eu tinha que compor, eu tinha que compor. Não importava se as músicas estivessem prontas e não fosse possível voltar atrás, eu tinha que escrever. Eu teria ficado louco se não o tivesse feito.

 

A entrevista completa (em inglês) está disponível nesse link.

 

Por Joe La Puma
Tradução por Alexandre Krause

 

Redação LDRA
Down on the west coast. They got a saying...
TOPO