Put Me In… Unreleaseds | As 10 unreleaseds da Lana que mereciam estar num álbum

por / quinta-feira, 29 janeiro 2015 / Publicado emColunas, Put Me In

IMAGEM POST LDRA1

Se tem algo que os fãs de Lana Del Rey nunca podem reclamar é sobre a variedade e quantidade de músicas dela que podemos ouvir – não é pra menos, fora as músicas de seus álbuns oficiais, ela possui mais de 120 canções não lançadas que caíram na internet ao longo do tempo! Essas chamadas unreleaseds às vezes ocupam um espaço muito maior no coração de seus fãs do que muitas de suas músicas oficiais, e ninguém pode culpá-los por isso.

Assim, resolvemos fazer essa Put Me In… pra você que ama algumas dessas canções e sonha em vê-las num álbum um dia (e é claro que aquela sua preferida pode não estar nessa lista e se fosse você escrevendo aqui talvez colocaria duas ou três diferentes, mas não pode negar que as seguintes canções também mereceriam mais reconhecimento).

Divirtam-se!

 

10. Live or Die

“So tonight are you gonna be my soldier? Are we gonna be Bonnie and Clyde?” (Então esta noite você será meu soldado? Nós seremos Bonnie e Clyde?) “É viver ou morrer, garoto, é viver ou morrer” – e é essa letra deliciosa com pegada pop a primeira da lista que deveria ser lançada oficialmente por Lana em algum álbum. Aqui temos um lado divertido de menina má que Del Rey comumente cita em canções antigas, mas dessa vez com uma pitada gângster maravilhosa. Clássicos filmes de gângsteres como Bugsy Malone e Scarface, Tony Montana e Michelle Pfeiffer, Tommy Mottola e Mariah… Vai dizer que não dá vontade de agarrar um garoto mau e sair perigosamente pela noite depois de ouvir essa música! E é com essa composição sobre um casal de bandidos que se comparam a Bonnie e Clyde – o mais famoso da História – que Lana poderia finalizar algum álbum, talvez até “Born to Die”, ao narrar dois inconsequentes num pop levemente hip hop.

                                                    

9. TV In Black And White

E falando em dois inconsequentes, eis uma balada lenta e melancólica sobre uma garota que não consegue parar de amar aquele cara mau que está na prisão. “Living without you is like TV in Black and white, you turned me on and brought color into my life…” (Viver sem você é como uma TV em preto e branco, você me ligou e trouxe cor a minha vida) é um verso em que, mesmo vivendo situações completamente diferentes, não podemos deixar de nos identificar em algum momento, como quando seu namorado decide terminar de repente com você, ou você é jovem demais e sua mãe lhe proíbe de ver aquele carinha que você tanto gosta, e então parece que o mundo não é mais tão colorido e brilhante – e “quando estou perto de você, de repente percebo que eu era cega antes de ver o mundo pelos seus olhos”. Não é pra menos que é uma das unreleaseds preferidas dos fãs da Lana e merecia muito um lugarzinho num álbum.

 

8. Hollywood’s Dead

Ah, Hollywood’s Dead… Essa música que nos transporta pra velha Hollywood de ouro e nos faz perguntar por que as melhores pessoas sempre partem. A canção em tons prateados do cinema em preto e branco e melodia sofrida com pitada clássica é uma das melhores de Del Rey, com ela cantando “Hollywood’s dead, Elvis is crying, Marilyn’s sad, Hendrix is lying dead…” (Hollywood está morta, Elvis está chorando, Marilyn está triste, Hendrix está enterrado). O que aconteceria se Elvis, Marilyn, Jimi Hendrix, Kurt Cobain ou Sid Vicious chegassem na Los Angeles atual e vissem como as coisas se tornaram quase plásticas? Eles iriam chorar e é essa a exata reação da cantora ao comparar a morte de Hollywood à morte de sua alma que desistiu do amor. Não fique assim, Lana…

 

7. Because of You

Não, não é Kelly Clarkson, mas é tão destruidora quanto. A canção em que Del Rey se define como “uma jovem garota, egoísta e selvagem, como um fogo em Los Angeles…” que de boa não tem nada. Má, mesquinha, cheia de problemas e de coração partido, ela diz ser uma beauty queen bêbada, viciada e que, pelo álcool, seria capaz de largar tudo e fazer um típico papel vergonhoso de garota chapada. Ela quer se apaixonar, ela quer sair daquele mundo degenerado, mas não tem nada que a faça realmente querer mudar e ir em busca de seus sonhos – entregando-se à bebida e cansada da vida real. Com uma melodia meio R&B à lá Amy Winehouse, Because of You seria uma das melhores apostas para o “Paradise”, mas que de última hora foi retirada da tracklist.

 

6. Driving Cars With Boys

“I was born to live fast, die young, leave a beautiful corpse, live my life on the run…” (Eu nasci pra viver rápido, morrer jovem, deixar um belo cadáver, viver minha vida em fuga) é um dos versos que mais definiria a personalidade de Lana Del Rey, uma adolescente inconsequente que desperdiça a vida dirigindo em carros com garotos, bebendo em bares e ficando alta em festas. Divertida, com uma pegada pop e vintage, é uma das melhores unreleaseds da cantora e nos faz ter vontade de gritar um “foda-se” para a vida. Quem liga, afinal? Pegue a “sua grana e sua Louis Vuitton, diamantes e armas; as garotas… as garotas só querem se divertir!”.

 

5. Prom Song (Gone Wrong)

Ah, a deliciosa Prom Song… É de suspirar! Sabe aquela aura quase mágica e vintage disfarçada de perigo que tem no baile de formatura do filme As Virgens Suicidas? É com se essa música fosse exatamente vinda de lá. Lana canta o que praticamente todos os jovens sentem ao morar numa cidadezinha no meio do nada que simplesmente não lhe cabe, como se ela fosse a pontinha da imensidão do mundo lá fora o esperando – Lana, inclusive, compara o lugar à Wasteland no verso “Let’s get out of this place, ‘cause we’re starting to waste whitin this teenage wasteland…” (Vamos cair fora desse lugar, porque estamos começando a desolar dentro dessa terra desolada da adolescência) , essa “terra desolada” no qual é de um poema de T. S. Eliot – mas, ao invés de narrar a terra sem vida e de pessoas ignorantes pós-guerra, temos um lugar sem qualquer coisa que faça um jovem crescer e se divertir. Pegue seu par do baile de formatura, beije-o no portão e fuja para onde quiser, assim como diz essa deliciosa canção meio pop meio trip hop.

 

4. JFK

“You smell like a milion roses bathed in rock and roll, ours was the greatest love story ever told…” (Você cheira como um milhão de rosas banhadas em rock and roll, nossa história de amor foi a maior já contada) é como começa a romântica balada feita para um dos mais adorados presidentes da história dos EUA, John F. Kennedy. É impossível não amar essa ode maravilhosa a um homem que encantava a todos por onde passava – inclusive, segundo muitos acreditam, Marilyn Monroe. Calma, apaixonada, banhada em rosas e poesia é uma das melhores canções não-lançadas de Del Rey, onde temos seu amor comparado a esse tão querido ícone, porque ele “tem um jeito de JFK e uma alma como a de mais ninguém, capaz de partir seu coração e deixá-la louca”. Como paro de suspirar?

 

3. On Our Way

Sabe aquele seu ex-namorado que ninguém dava nada pra ele, mas que pra você era como um salvador? E quando vocês estavam sozinhos no Chevrolet velho dele só para ganhar um beijo e desejar fugir juntos para sempre? “Spin me round, kiss me in your Chevrolet, you found me when I had lost my way…” (Me gire, me beije em seu Chevrolet, você me encontrou quando eu tinha perdido meu caminho).  On Our Way é linda em sua simplicidade, poética em sua realidade e que nos faz sorrir feito bobos apaixonados num dia de verão. Uma das mais antigas unreleaseds de Lana, essa é sem dúvida uma das preferidas dos fãs, acompanhando a melodia suave e simples do violão e a voz quebradiça dessa mulher poetisa. “You say we’re gonna run away, ‘put on your sundress’, summer day” (Você diz que nós vamos fugir, ‘coloque seu vestido de verão’, dia de verão”).

 

2. Serial Killer

Ah, essa é para os amantes loucos, os amantes que se perdem no ódio e na obsessão, que perdem a linha e perdem a cabeça completamente. “Baby, I’m a sociopath, sweet serial killer” (Baby, eu sou uma sociopata, doce serial killer) “porque eu te amo um pouco demais, eu te amo um pouco demais” – diz Lana nessa canção que não poderia deixar de integrar essa lista. Uma música que conta a história de uma garota que cansou de procurar pelo amor e então encontra essa pessoa… Ah, essa pessoa que a hipnotiza e a faz tentar agarrá-lo a qualquer custo. Ela assassinou o amor, ela assassinou o próprio orgulho e é uma jovem inconsequente que “adora a sensação de adrenalina” de cada um de seus atos. Um misto de medo e diversão num pop obscuro que os fãs de Del Rey já estão acostumados e simplesmente adoram!

 

1. Never Let Me Go

E para finalizar, a suave, calma, triste e deliciosa canção que serve para acalentar a alma. Visualizem um dia de chuva, aquelas cores cinzas e nubladas numa cidade calma perto de Nova York, Scarface baixinho rodando na televisão, vocês vendo fotos suas perto do CBJBs e então um abraço quente… Essa é a sensação de ouvir Never Let Me Go, a fragilidade do amor, aquela rosa que nasce no meio do nada e o encanta por completo. “Garoto, nós estamos numa Guerra Mundial”, ela diz baixinho ao se referir ao mundo lá fora, implorando pra ele nunca deixá-la, só abraçá-la mais forte e viver esse amor. Precisa dizer mais? “If you love me hardcore, then don’t walk away […] I just wanna be yours like I always say, never let me go, just stay.” (Se você me ama forte, então não vá […] Eu só quero ser sua como eu sempre digo, nunca me deixe, só fique).

 

E então, o que acharam da lista? Essas também são suas preferidas ou esquecemos alguma? É claro que não podemos agradar a todo mundo 100%, mas espero que pelo menos com metade da lista você também possa concordar e amar com a gente!

Raphaella Paiva
Escorpiana, 20 anos. Estudante de Letras - Português pela Universidade Federal de Goiás, escritora em pré-contrato e uma beatnik nascida na época errada. Descobriu Lana Del Rey em 2011 quando Video Games roubou seu coração, tornando-se uma tradutora, redatora e colunista que adora um teste do sofá no Addiction. Cinéfila que também ama jazz e blues, Pink Floyd, Arctic Monkeys, Kristen Stewart, Marilyn Monroe e qualquer coisa escrita ou filmada por Woody Allen.
  • Gabriella

    Ahhh, amei a lista! Pra mim ainda faltou Hit And Run e talvez Children of the bad revolution… mas ficou ótimo mesmo assim! <3333333

    • André Luiz

      senti a mesma coisa

  • nayane

    goxtei da lista ! principalmente de serial killer e never let me go <3
    mas eu tbem amo hundred dollar bill e hawaain tropic *.*

  • Júlia Borges

    Cadê Velvet Crowbar?

  • Ian Holland

    Sabia que Never let me go seria a primeira. Olha eu senti falta de umas cinco, dez, cem… São tantas maravilhosas! <3

  • Diego

    gente last girl on earth e backfire, faz favor hahaha sa mulher é uma deusa viu?

  • luna

    sou mais as que ela vai para o blues, rock e o indie

  • Fernanda Nascimento

    Driving Cars With Boys, Never let me go <3 e faltou Children of the bad revolution eu acho

  • Fernanda Nascimento

    Velvet Crowbar

  • Eduardo Cardoso

    Faltou Paradise

  • Mathxx

    Ameei a lista, mas acho que faltou ‘Hawaiian Tropic’ que é uma obra de arte …<3 <3

  • Raphael Kaiston

    driving cars with boys foi a pimeira a vazar é a música q define a Lana leiam a tradução pessoal resume tudo tudo

  • http://fb.com/mrgreenmusicbr Pablo Moreira

    Faltou Queen of Desaster, Butterflies II, Put in the Radio, Damn You, Making Out, Paradise, Is It Wrong? e Angels Forever.

  • Alexandre Pessoa

    Angels forever, i dont Wanna go e a versão demo de nthional anthem!!! Mas todas elas nos conquistam de um forma ou de outra…. sempre tem uma fase e uma frase das nossas vidas que é traduzida pela Lana!

TOPO