Put me in… A New Album | As 10 fotos de Lana Del Rey que poderiam virar capa de algum álbum

por / sábado, 24 janeiro 2015 / Publicado emColunas, Put Me In

Put me In 1

Todos os anos, Lana Del Rey presenteia seus fãs com belíssimos ensaios fotográficos. Alguns são de tirar o fôlego, outros são bem sofisticados, mas todos são muito bem feitos, e Lana sabe muito bem posar para as câmeras. Esses ensaios dão origem a uma das partes mais importantes de um álbum: a capa e o encarte. São essa fotos que irão transmitir visualmente o conteúdo do álbum ou mostrar, de uma forma autêntica, quem é a estrela por trás do disco.

Em 2012, Lana fez um ensaio com a fotógrafa Nicole Nodland e uma das imagens do ensaio veio a ser a capa de seu álbum de estreia, o Born To Die. Foi por meio dessa foto que Lana ficou conhecida mundialmente no mundo da música. Assim nascia Lana Del Rey, a cantora sadcore com visual retrô que gravou um álbum sobre romances e receios, e que tem uma ambientação clássica que lembra os anos 60. E são justamente essas características que a capa de Born To Die nos transmite.

Essa coluna reúne os 10 melhores outtakes de Lana para ensaios fotográficos que poderiam estampar um futuro álbum ou algum disco que poderia ter sido lançado no início de sua carreira. Confiram:

 

10º – Lana fotografada por Chuck Grant, em 2010

Essa foto é uma das minhas preferidas de Lana como Lizzy Grant, e seria perfeito se fosse a capa de algum álbum feito inteiramente pela Lizzy. Penso em um nome como “Bad Disease” ou talvez “Tired of Singing the Blues“, pois é essa a sensação que essa imagem passa; ela sentada, de certa forma “acabada”, pensando no seu amor doentio que a fez ficar descontente com a vida. O cigarro, o seu olhar e os objetos espalhados pela casa mostram a frustração de Lizzy, que afoga suas mágoas cantando e se autoflagelando.

2010 - Chuck Grant - (BAD DISEASE ou TIRED OF SINGING THE BLUES) 1

 

9º – Lana fotografada por Bella Howard para a revista NME, em 2011

Lana sempre foi muito patriota em relação aos Estados Unidos e sempre deixou isso claro, sendo apaixonada pelo “Sonho Americano”. No lugar de Born To Die, ela poderia ter feito um álbum em que deposita seu amor sobre seu país em forma de música, misturando o romance, as inspirações e suas frustrações. O nome poderia ser “God Bless America” ou “American Dream“, e a capa do álbum, por si só, já transmite certo patriotismo. Seria um Born To Die chamado “God Bless America”, com algumas faixas inéditas como Hollywood ou JFK, e também mostraria ao mundo de forma mais direta o amor de Del Rey pelo seu país.

2011 - Bella Howard - NME (GOD BLESS AMERICA ou AMERICAN DREAM) 1

 

8º – Lana fotografada por Jean-Baptiste Mondino para a revista Liberation Next, em 2011

Esse ensaio é um dos meus favoritos! Tempos atrás, Lana disse que estava trabalhando em um novo álbum que se chamaria “Black Beauty” (algumas das muitas muitas músicas vazadas nos anos anteriores estariam nesse álbum), nome que dou a esse aqui. Pra mim, não há foto que mostre melhor a impressão que o nome causa. A expressão séria de Del Rey, meio triste, é um prelúdio da melancolia desse álbum, misturado à beleza de seus sonhos e a escuridão de sua realidade.

2011 - Jean-Baptiste Mondino - Liberation Next  - (BLACK BEAUTY) 1

 

7º – Lana fotografada por Simon Emmett para a Q Magazine, em 2011

Esse ensaio com certeza foi um dos mais icônicos que Lana já fez. Quando vejo essa imagem, tenho certeza que ela deveria estampar um álbum chamado “Queen of Disaster“, já que ela ama o seu homem e o considera seu rei, mesmo sabendo do seu poder de destruição – e não nega isso. Sua fúria em relação a sua paixão é tão intensa que ela mesma acaba se machucando com isso. Poderia ser um álbum com uma ambientação mais jovem, algo como a história de uma jovem do colegial que ama demais o seu garoto e não mede esforços para tê-lo de qualquer forma. Essa foto lembra muito a Carrie, a Estranha, vocês não acham?

2011 - Simon Emmett - Q Magazine - (QUEEN OF DISASTER) 1

 

6º – Lana fotografada por Mariano Vivanco para a GQ Magazine, em 2012

Esse ensaio também é um dos mais conhecidos de Lana, e essa imagem em especial teve muita repercussão, pela ousadia da própria. As fotos tiradas por Mariano mostram uma Lana despida, sensual e provocante, imagem um pouco diferente da que estamos acostumados a aliar a ela. Se estampasse a capa de algum álbum seria algo no mínimo polêmico. Talvez seria um trabalho mais sexual, digamos assim; algo mais quente, com melancolia, mas com desejo. Poderia ser chamado de “Strange Love“, e poderia ter a música do mesmo nome como a faixa principal.

2012 - Mariano Vivanco - GQ (STRANGE LOVE) 1

 

5º – Lana fotografada por Chuck Grant para a promoção de Ultraviolence, em 2014

Quando essa foto foi divulgada, o mundo inteiro achou que seria a capa de “Ultraviolence“. Com certeza essa foto poderia ter estampado o álbum, só que isso dando mais ênfase ao nome do álbum, e não muito ao conteúdo. Porém, se formos levar em conta faixas como West Coast e Florida Kilos, não fugiria da ideia. Com certeza passa um ar de Ultraviolence, já que podemos perceber Lana com uma expressão de garota má, que adora fumar um cigarro enquanto lamenta por seus amores. O preto e branco mostra que o álbum está atrás de seu tempo, com inspirações vindas da época do jazz e da geração beat, nada muito diferente do que o “Ultraviolence” expressa.

2014 - Chuck Grant - (ULTRAVIOLENCE) 1

 

4º – Lana fotografada por Chuck Grant em Polaroids, 2014

E aqui temos mais uma foto tirada pela irmã de Lana, que diga-se de passagem, sabe muito bem tirar fotos dela. Essa foto poderia ser a capa de um álbum cheio de influências do jazz, citando NY, Coney Island, amores, desilusões… é como se fosse um álbum que tivesse músicas cantadas pela Lana nas noites de Nova York, soltando sua voz por meio de um jazz romântico que faz sucesso entre os apaixonados. E isso tudo aderindo ao estilo Polaroid como capa do álbum, transmitindo algo bem clássico. Particularmente acho que esse álbum seria um charme, ainda mais com essa foto. “Brooklyn Baby” seria o nome perfeito para tal álbum. Ou talvez” Queen of Coney Island“…

2014 - Chuck Grant - Polaroids (BROOKLYN BABY ou QUEEN OF CONEY ISLAND) 1

 

3º – Lana fotografada por Neil Krug para a revista Maxim, em 2014

O ensaio de Lana para a revista Maxim foi muito bem feito e originou fotos lindas demais, como essa. Neil Krug realmente sabe como capturar uma boa foto de Lana (as imagens que compõe a capa e o encarte de “Ultraviolence” foram tiradas por ele). Quando vi essa foto em especial, simplesmente me dei conta de que poderia estampar o próximo álbum da cantora, “Honeymoon“. A simplicidade de uma mulher, esperando seu amado para a lua de mel, com um ar muito sedutor. E esse fundo rosado torna tudo mais romântico e passa a impressão colorida que Lana disse que o álbum terá. A sua expressão transmite uma dúvida, uma inquietação, talvez até uma leve melancolia. Simplesmente perfeito para “Honeymoon”.

2014 - Neil Krug - Maxim (HONEYMOON) 1

 

2º – Lana fotografada por Theo Wenner para a revista Rolling Stone (EUA), em 2014

Um dos meus ensaios preferidos com uma das fotos que mais amo. Essa é uma imagem que transmite sofisticação, um amor superior ou algo do tipo. Poderia estampar um álbum com o nome de “National Anthem“. Não tenho certeza em relação ao nome, mas com certeza poderia ser algo relacionado a dinheiro, festas, glamour, luxúria, temas que Lana já explorou em algumas de suas canções. Seria interessante ver uma imagem bem conhecida de Lana estampar um álbum. Outra característica dele seria a sensualidade tanto musical quanto visual.

2014 - Theo Wenner - Rolling Stone EUA (NATIONAL ANTHEM) 1

 

1º – Lana fotografada por Nicole Bentley para a Vogue Australia, em 2012

Esse ensaio foi um dos mais autênticos que Lana já fez e um dos mais belos também. Essa foto seria a capa perfeita para um álbum de músicas com um tom melancólico, mas com uma leveza romântica já que a foto passa uma impressão de uma moça frágil e apaixonada que não está totalmente feliz. Ela parece estar descontente com o que acabou de ler na carta e se sente insegura, por isso o nome “Afraid“. A fotografia também passa uma sensação de algo clássico, o que seria a combinação perfeita com um álbum que exploraria o jazz e um sadcore gostoso de ouvir. Lana sabe transmitir uma delicadeza feminina como nenhuma outra mulher, e tanto essa imagem quanto o resto do ensaio fotográfico comprovam essa afirmação.

2012 - Nicole Bentley - Vogue Australia (BECAUSE OF YOU ou AFRAID) 123

 

Para fazer essa coluna, fiz uma pesquisa em cima de todos os ensaios que Lana já fez e reuni aqui os mais expressivos de todos. É claro que poderiam ter mais ideias, pois todo ensaio fotográfico é expressivo, mas todos os aqui citados possuem uma especialidade única, com fotos que realmente poderiam estampar algum álbum. Esse artigo foi minha estreia como colunista, espero que tenham gostado. Sintam-se a vontade para comentar suas opiniões. Abraços e até a próxima coluna!

 

Por Alexandre Krause
Revisão por Raphaella Paiva

Alexandre Krause
Catarinense com muito orgulho e amante de uma boa música. Adora viajar, ler, assistir séries, e tem um profundo amor pelo inverno. Conheceu a Lana em 2012 ouvindo Ride. Ama a canção Radio, pois sempre que escuta essa música, pondera que a vida pode ser muito melhor do que ela já é.
  • Ian Holland

    Adorei a capa para “Honeymoon” e to bem curioso para a capa do álbum mesmo. Sinto que será icônica

TOPO