Put Me In… A Movie | 10 personagens que Lana interpretaria no cinema

por / quinta-feira, 08 janeiro 2015 / Publicado emColunas, Put Me In

Put me in

Todos sabemos da intensa relação de Lana Del Rey com o cinema. A cantora já declarou inúmeras vezes seu amor por edição de vídeos e já chegou a dizer que consegue enxergar seu futuro como compositora de trilhas sonoras. Ela inclusive já cantou quatro canções (sendo a compositora de três) para filmes como Malévola, O Grande Gatsby e Grandes Olhos, além de ter atuado em dois curtas-metragens (Tropico e Poolside). Mas e se fôssemos além disso tudo e imaginássemos Lana sob os holofotes? Ela dá um show de atuação em seus clipes, então vamos combinar que não é tão difícil pensar nela como atriz…

Sugerimos a seguir 10 personagens que ela interpretaria com facilidade:

 

10. Justine em “Melancolia” (2011), interpretada por Kirsten Dust.

Tudo bem que o título do filme é meio óbvio para aqueles piadistas que dizem que Lana é uma sad girl que queria estar morta e canta músicas de velório e fuckbla. Mas não é bem assim. E se ela fosse uma bela e bem sucedida publicitária que está se casando com um homem completamente apaixonado por ela? Acontece que, em plena festa de casamento, começam a aparecer os indícios de uma depressão vindoura, agravada pela pressão exercida por seus amigos e sua família para que ela seja uma pessoa “feliz e funcional”. E então as coisas só tendem a piorar, porque foi descoberto um planeta chamado Melancolia que em breve irá se colidir com a Terra e ocasionar o fim do mundo, levando Justine e todos a seu redor a serem testados das melhores formas emocionais. As risadas começam a dar lugar à culpa e a uma pesadíssima sensação de tristeza… até que a Melancolia lhe absorva completamente. Um filme do famoso diretor Lars Von Trier (já assistiram “Ninfomaníaca”, né safadinhos?) que cairia como uma luva para a rainha de Saigon fazer uma poderosa interpretação.

“A Terra é má, não precisamos ficar de luto por ela.” Justine.

Confira o trailer aqui.

9. Amy Dunne em “Garota Exemplar” (2014), interpretada por Rosamund Pike.

É claro que não deixaríamos a queridinha de 2014 de fora! Os filmes de David Fincher (famoso por também dirigir “Seven” e “Clube da Luta”) sempre têm aquela pegada de mistério que é a cara da Lana – interpretando Amy Dunne então… seria perfeito! A personagem de dupla personalidade que desde pequena tinha sido a protagonista da série de livros de sua mãe escritora, chamada “Amy Exemplar”, começa a deixar o telespectador vidrado em sua verdadeira identidade e no que fará a seguir. Sem spoilers trágicos, mas imaginem só aquela carinha de anjo da Lana esboçando aquele sorriso maligno na cena final do filme, ou então os olhares perspicazes de mil pensamentos que só Amy possui! Socorro, Lana já teria um Oscar.

“Você acha que seria feliz com uma boa garota caipira? De jeito nenhum, baby! Eu sou o que sou.” Amy Dunne.

Confira o trailer aqui.

08. Clementine Kruczynski em “Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças” (2004), interpretada pela Kate Winslet.

Ah, Clementine… Quer personagem mais dúbia, e ainda assim apaixonante, do que essa? Interpretada pela maravilhosa Kate Winslet e com Jim Carrey como par romântico, o drama é um dos melhores filmes do novo século. Lana Del Rey no papel da inconstante, impulsiva, maluquinha e complicada Clementine seria impecável, uma personagem que representa todas as frustrações do homem moderno ao terminar um relacionamento que tanto amava e, como a melhor fuga que encontrou, decide assim apagar todas as suas memórias sobre Joel (Jim Carrey), em uma clínica especializada. Romance, drama e ficção científica da mais primeira classe! Uma poesia contemporânea que seria simplesmente deliciosa se tivesse Lana no papel principal, sorridente e aventureira e com uma cor de cabelo diferente a cada cena – ao melhor estilo da confusa e apaixonante Clementine.

“Clementine: Você me conhece, eu sou impulsiva.

Joel: É isso o que eu amo em você.”

Confira o trailer aqui.

07. Samantha em “Ela” (2014), interpretada por Scarlett Johansson.

Imagine Del Rey interpretando um “Sistema Operativo de Inteligência Artificial” e seu nome é Samantha. Porém, no mundo de “Ela”, só saberíamos da presença de Lana através de sua incomparável voz. E ela não seria apenas uma simples voz em forma de “computador” que olha seus e-mails ou te lembra de fazer algo programado, mas também que ao longo do tempo vai evoluindo e aprendendo com o seu “dono” através de confissões sobre seus relacionamentos fracassados, compartilhando com aquela simples voz o que você não teria coragem de dizer pra mais ninguém. Samantha serve como uma voz amiga, mas ela não te julga nem te cobra, sendo compreensiva com os seus problemas do dia-a-dia, estando sempre online – e quando você precisar, ela estará ali esperando para acioná-la. Uma companheira perfeita! Só tente não se apaixonar por ela, pois ela pode se apaixonar por você também e… isso poderia trazer algumas consequências indesejáveis.

“É como se eu estivesse lendo um livro… e é um livro que eu amo profundamente.” Samantha.

 Confira o trailer aqui.

06. Sugar Kane em “Quanto Mais Quente Melhor” (1959), interpretada por Marilyn Monroe.

É claro que não poderíamos nos esquecer da atriz preferida da Lana! Mas nem somente por isso achamos que o filme mais famoso de Marilyn Monroe seria o ideal pra nossa garota! Divertidíssimo, em preto e branco e cheio de música e até gângsteres, esse seria o enredo ideal para Lana brilhar nas telonas. Do mesmo diretor de “O Pecado Mora ao Lado” (o filme com aquela clássica cena do vestido subindo, sabe?), a personagem da Sugar Kane é cantora numa banda feminina que sai viajando pelo país nos anos 20 fazendo pequenas apresentações – mas a história mesmo começa quando dois músicos, que estão fugindo de uma gangue de Chicago, decidem fingir que são duas mulheres para poderem sumir pelo país com a banda. Digno de altas risadas, Lana ficaria irresistível interpretando a doce Sugar, que adora uísque, festas e sonha em fisgar o coração de um milionário! PS.: E imaginem só ela cantando I’m Through With Love! Tem um olho na minha lágrima.

“Não importa o quanto ele seja rico, contanto que tenha um iate, seu próprio vagão de trem particular e sua própria pasta de dente!”

 Confira o trailer aqui.

05. Lisa Rowe em “Garota Interrompida” (1999), interpretada por Angelina Jolie.

E se Lana interpretasse uma das coadjuvantes mais icônicas do cinema? E se ela fosse maluca, manipuladora e mesmo assim conseguisse ser extremamente carismática e sedutora? Pois Lisa Rowe é tudo isso e mais um pouco. A personagem de Angelina Jolie roubou a cena ao interpretar uma jovem que foi diagnosticada como vítima de Transtorno de Personalidade Limítrofe (ou borderline) logo após uma tentativa frustrada de suicídio, e acaba indo para um hospital psiquiátrico conhecido por internar várias “celebridades”. E lá ela conhece pessoas fantásticas, manipula todos ao seu redor e sabe muito bem o que dizer para ferir uma pessoa. Ah, se as cenas tivessem uma linda e loira Lana com um cigarro nos lábios, aprontando horrores no hospital psiquiátrico e ainda por cima dando beijinhos na Winona Ryder… A paixão seria irresistível.

“Você se acha livre? Eu sou livre! Você não sabe o que é liberdade! Eu sou livre, eu posso respirar. E você… vai se sufocar na sua porra de vidinha medíocre!” Lisa Rowe.

 Confira o trailer aqui.

04. Angela Hayes em “Beleza Americana” (1999), interpretada por Mena Suvari

Já que Lana não tem carinha de 12 anos para interpretar “Lolita”, ela muito bem poderia se passar pela – tão sedutora quanto – Angela Hayes de 16 anos, no filme que ela já disse em inúmeras entrevistas ser um de seus preferidos. Uma das peças de ouro dos anos 90, o longa traz a perigosa garota que percebe os olhares cobiçosos do pai de sua melhor amiga, começando então um jogo de sedução que atinge níveis estratosféricos. Com um sorrisinho de menina malvada e aquela olhar vibrante que só Lana tem, ela ficaria impecável no papel da inconsequente, maliciosa e provocante da loira (deitada naquele mar de pétalas de rosas vermelhas então… Oh, Céus!).

“Eu acho que não existe nada pior do que ser comum.”

 Confira o trailer aqui.

03. Alice em “Closer – Perto Demais” (2004), interpretada pela Natalie Portman.

Sedutora, confusa e simplesmente amável é a personagem Alice nesse filme belíssimo em que interpreta uma stripper nesse “quadrado amoroso” onde ela acaba se apaixonando pelo personagem de Jude Law. Lana Del Rey ficaria extremamente adorável no papel dessa garota que chega a parecer com Clementine (de “Brilho Eterno”, lembram?), fazendo esse papel de quem não acredita muito no amor, mas ainda assim o espera. Assim como o longa-metragem fala sobre recriar a si mesmo quando se está em um relacionamento, começamos a desvendar esse verdadeiro lado de Alice em uma maravilhosa história de amor, drama e confusões pessoais. Uma personagem perfeita para explorar os melhores lados de Lana Del Rey.

“Mentir é a maior diversão que uma garota pode ter sem tirar as roupas, mas é melhor se você as tirar.” Alice.

 Confira o trailer aqui.

02. Daisy Buchanan em “O Grande Gatsby” (2013), interpretada por Carey Mulligan.

Às vezes fico me perguntando se Lana foi escolhida como cantora da música-tema desse filme por pura coincidência… porque ela seria uma Daisy absolutamente perfeita! Inicialmente doce, um pouco hesitante e com um sorriso encantador, ela rouba o coração de Jay Gatsby ainda quando adolescentes, e a paixão que ela causa é tanta que o faz criar um verdadeiro império apenas para tê-la de volta, mesmo já estando casada. Del Rey faria um trabalho esplêndido interpretando essa personagem que tanto faz você se apaixonar quanto odiar, principalmente com todo aquele look e festas fantásticas dos anos 20 com um ar de contemporaneidade que levou “Young And Beautiful” a um incrível sucesso.

“Todas as brilhantes coisas preciosas se vão tão rápido… e elas não voltam.” Daisy Buchanan.

 Confira o trailer aqui.

01. Elvira Hancock em “Scarface” (1983), interpretada por Michelle Pfeiffer.

E por último e, sim, mais importante, deixamos a versão de 83 de um dos filmes preferidos de Del Rey, interpretando ninguém mais, ninguém menos que a poderosa Elvira Hancock. A dondoca loira que não resiste aos encantos de Tony Montana (Al Pacino), um imigrante cubano impulsivo que se torna um milionário traficante de cocaína em Miami, e que mesmo assim não mede as palavras ao dizer o que realmente pensa. Ácida, viciada, linda e completamente hipnotizante, é a personagem que mais se encaixaria aos poderes dos sorrisos e olhares de Lana Del Rey – apresentando ao mundo cinematográfico uma Elvira Hancock tão ou melhor que Michelle Pfeiffer, a esposa de um dos gângsteres mais famosos da história.

“Quem, por que, quando e como eu fodo não é da sua conta, okay?” Elvira Hancock.

Confira o trailer aqui.

 

E então, o que achou da lista? Tem algum outro filme em que você imagina Lana Del Rey?

 

Por Alfredo Neto e Raphaella Paiva.

Raphaella Paiva
Escorpiana, 20 anos. Estudante de Letras - Português pela Universidade Federal de Goiás, escritora em pré-contrato e uma beatnik nascida na época errada. Descobriu Lana Del Rey em 2011 quando Video Games roubou seu coração, tornando-se uma tradutora, redatora e colunista que adora um teste do sofá no Addiction. Cinéfila que também ama jazz e blues, Pink Floyd, Arctic Monkeys, Kristen Stewart, Marilyn Monroe e qualquer coisa escrita ou filmada por Woody Allen.
TOPO