ANÁLISE | Lana Del Rey é uma amante triste em ‘Sad Girl’

por / segunda-feira, 04 agosto 2014 / Publicado emAnálises, Colunas

SAD-GIRL

Lana Del Rey é o tipo de artista que cria um mundo para si mesma. Por isso, seu trabalho se torna algo tão enigmático e misterioso. Muitas vezes, as letras de suas músicas nos faz pensar se todos aqueles acontecimentos foram reais em sua vida, ou se foram apenas ficção.

Porém, talvez “Sad Girl” seja uma das faixas mais autobiográficas em ‘Ultraviolence’. Del Rey afirma que a canção foi escrita pois às vezes ela se sente uma menina triste, que muitas vezes ela tenta lutar contra coisas que estão fora de seu controle e que a música é sobre “ela fazer coisas que ela quer ao invés de fazer o que deveria fazer”.

Recentemente,  a cantora disse ao The Fader, sem revelar nomes, a respeito de um relacionamento de sete anos que ela teve com um homem casado, executivo de uma gravadora. Talvez possamos relacionar tal relacionamento à música, talvez não. De qualquer forma, tendo sido real ou não, ela parece saber como é ser “a outra mulher”, e na música, ela tenta justificar que é feliz, ao mesmo tempo em que se mostra profundamente infeliz sendo uma amante.

No início da música, Lana tenta se convencer de que ser uma amante não é algo tão ruim. Ela se justifica dizendo “você não viu o meu homem”, se mostrando cegamente apaixonada. Afinal, desde que ela esteja ao lado do “seu homem”, então vale a pena. Aparentemente, o homem mencionado na música, é um homem rico.

 

No refrão, Del Rey o descreve de forma idealizada, como ela o vê. Ele a usa como uma espécie de “troféu”, um “brinquedo”, algo que facilmente pode ser substituído. Dá dinheiro à ela e isso a deixa triste, (His money on the side, money on the side, makes me so sad, girl) pois claramente ela não quer seu dinheiro, e sim, seu amor. Lana é sua “parceira de crime” (o crime, no caso, seria a traição). Ela é sua Bonnie e ele é seu Clyde.

Tudo o que ela faz é esperar por seu amado enquanto ele continua fazendo promessas e usando suas drogas. Ao cantar “Rastejando ao seu lado enquanto ele se droga, talvez não seja algo que você faria. Mas você não viu meu homem” se mostra completamente sem controle sobre a situação, submissa. Ela não segue sua cabeça, ela já não age com racionalidade, ela segue seu coração. Ao cantar “being a bad bitch on the side”, ela tenta usar a imagem de ‘vadia má’ como um sinal de honra, tentando demonstrar que ela não se importa com tal situação, mas facilmente percebemos que é algo que a machuca por dentro e a deprime.

Em síntese, Sad Girl’ pode basicamente ser interpretada como uma música a respeito de uma mulher que é infeliz em um relacionamento, infeliz na posição de amante, mas que, porém, tenta se convencer que tal relação a faz feliz, se apegando à uma imagem idealizada de seu romance com um homem casado, também idealizado. Mesmo deprimida, ela não consegue deixá-lo, ela não tem controle sobre a situação.

Escrito por Guilherme H. Lewer

Redação LDRA
Down on the west coast. They got a saying...
Tagged under: , ,
  • https://twitter.com/GuiRommer Guilherme Romer

    Maravilhosa análise da música e junto, a introjeção de uma sub-análise dos fatos que ela mesma narrou em outras fontes, parabéns Gui! Sempre fazendo trabalhos excelentes e de muito bom gosto!

  • GabrielMarcio

    Essa música merece um clipe , daqueles com monólogos e tudo mais <3

  • Lucas Santiago

    e na parte ”He’s got the fire and he walks with fame”, o fogo vc interpreta como?

TOPO