‘Meu pai achou ‘Cola’ engraçada, minha mãe não achou tão engraçado.’ Veja o bônus da entrevista para a Rolling Stone

por / sexta-feira, 25 julho 2014 / Publicado emEntrevistas

IMAGEM POST LDRA

Lana fala sobre sua música preferida, Guns N’ Roses e… Lady Gaga!

E, claro, de onde surgiu “my pussy tastes like Pepsi cola”.

 

18 coisas que você aprende após dois longos dias com Lana Del Rey

De sua verdadeira idade até seu gosto pra homens, aqui está o que não coube na história da capa da Rolling Stone [você pode ler a tradução aqui].

 

Há apenas uma pessoa, ao que parece, que não acha Lana Del Rey um confuso mistério. “Eu sei tudo sobre mim mesma”, Del Rey diz em sua primeira história de capa da Rolling Stone, que está lançado agora. “Eu sei porque eu faço o que eu faço.” Em muitas horas de entrevistas para a história, conduzida assim que ela lançou seu álbum de ótimas críticas, Ultraviolence, ela estava mais aberta do que nunca antes sobre sua vida e música – pelo menos até seu humor alterar e ela tentar abafar a coisa toda. Escolhida para essas discussões, aqui estão algumas pistas espalhadas para o quebra-cabeça mais perplexo no pop.

 

Del Rey acabou de completar 29 anos – não 28, como ela costumava anunciar – mas ela nega a responsabilidade por excluir um ano.

“As pessoas têm dito idades diferentes”, ela diz com uma impressionante imprecisão.

 

As direções que ela deu ao diretor de Ultraviolence, Dan Auerbach, foram bastante abstratas:

“Eu explicava as coisas pra ele em termos de cores e palavras-chave”, ela diz. “Minha palavra para o álbum era ‘fogo’, você sabe, fogo azul, quando a chama fica tão quente que sai do vermelho para o azul. Eu disse a ele que eu queria que tudo soasse como se fosse o tom de azul. E eu acho que no início ele ficou tipo, ‘Que porra é essa?’.”

 

Ela prospera em intensos relacionamentos românticos.

“Tem sido lindo”, ela diz. “Mas tem sido confuso, porque quando isso é seu privilégio, as coisas não acabam de um jeito tradicional. Você não tem esse relacionamento tradicional onde talvez você sai com casais à noite, ou faz coisas normais. É mais como uma extensão do processo criativo. Há acontecimentos de um alto impacto, ou grandes aventuras, ou grandes partículas radioativas. Então isso é inspirador, e não tem uma base, mas é o que eu preciso pra continuar.”

 

Ela gosta de caras mais velhos.

“Eu meio que tenho uma afinidade por pessoas muito boas, fortes e bem resolvidas”, ela conta. “Eu diria que não as conheci tanto quanto conheci pessoas na faixa dos 20 anos. Então pra mim, eu não tenho nada em necessariamente em comum com alguém em seus 20 anos – ainda. Disso eu sei. Eu estou apenas procurando por uma igualdade.”

 

Ela nunca conheceu Lady Gaga, apesar de elas terem sido parte do mesmo cenário.

“Seu empresário, Bob Leone, era um confidente meu, e ele me deu uma bolsa de estudo de dois meses numa aula de composições e me colocou na lista de cantores das segundas-feiras à noite do Cutting Room. Nós tocamos um par de shows juntas, mas nunca nos conhecemos.”

 

E sobre a antiga canção vazada de Del Rey, “So Legit“, que surge com um ataque direto a Gaga (“Stefani, você é uma merda“)? “Isso foi um mal-entendido”, ela diz. Ou talvez isso apenas não era pra ter sido ouvido por alguém? Ela apenas ri.

 

Contrária ao dito popular, ela é feliz às vezes.

“Eu quero dizer, eu fico feliz quando as coisas não vão mal”, ela diz. “Eu sou feliz quando as coisas são, de certa forma, calmas. Apenas de estar com pessoas que eu realmente me divirto. Eu amo o verão. Eu fico feliz no verão. Amo um clima bem, bem quente. Eu sou feliz quando estou fazendo um álbum, na maioria das vezes.”

Sua música favorita é “I’m on Fire“, do Bruce Springsteen.

O que faz sentido.

 

Ela gostaria de se casar e ter filhos um dia.

“Eu espero que sim. Eu espero isso no meu futuro. Se eu não foder com tudo. Eu não sei”.

 

Ela tinha medo do palco no início.

“Isso é porque eu realmente gosto de Cat Power, porque eu me sentia como se eu a entendesse”, ela diz. “Ela era uma pessoa que realmente significou muito pra mim, apenas de saber que estava tudo bem começar sua apresentação de costas pro público, no início, se você não conseguia o encarar. Quero dizer, várias vezes eu me sentia tipo, ‘eu não tenho certeza se consigo fazer isso.’ Mas eu melhorei.”

 

Ela tem um plano para o futuro ao estilo George Constanza.

“Eu sou muito específica sobre o porquê de eu estar fazendo algo ou escrevendo algo,” ela conta. “Mas isso sempre parece ficar ao contrário. Eu ainda não fiz isso, mas eu aprendi que tudo que irei fazer é ter a reação oposta do que eu queria. Então eu deveria fazer o oposto se eu quero uma boa reação.” Ela está surpresa por aprender que George tentou essa coisa em um episódio de Seinfield. “Oh, sério? Isso é incrível. Eu e George Constanza! Oh meu Deus!”

 

Ela viu Guns N’ Roses várias vezes, em diversos países – o que foi o motivo de ela ter sido pega com Axl Rose uma vez em Los Angeles.

“Eu amo Guns N’ Roses”, ela diz. “Axl é perfeito. Ele é exatamente o que eu pensava que fosse. Ele é uma inspiração. Ele fica no palco por três horas e meia toda noite, sabe? Ele não se cansa. É incrível. Vigor. Courtney Love é uma delas também. Eu a vi no Troubadour uns meses atrás. Ela ainda está arrasando.

 

Ela está perplexa por algumas das reações da sua música de descoberta, “Video Games“.

“Eu não entendia como aquilo ocasionou qualquer tipo de comentário feminista, porque tudo o que eu dizia era, ‘Eu estou tão feliz que você chegou em casa, e o Céu é um lugar na Terra com você. Eu nunca estive tão feliz’. Eu não entendia qualquer razão do por que isso soou submisso pra mim. De fato, eu pensei, na verdade, que numa idade tão jovem, eu era abençoada por encontrar alguém que me deixasse feliz. E eu apenas não entendia por que o amor verdadeiro não poderia ser a razão de tudo, a razão de ser. Eu tenho tudo, sabe? Mas obviamente, em outras músicas, isso toma um caminho diferente. E são apenas experiências diferentes, realmente. “

 

Ela tem tido alguns sonhos estranhos ultimamente.

“Sonhos modernos, sonhando com tempos modernos. Muito estranho. Eu tive um sonho em que eu estava esperando alguém para me encontrar, e no céu, onde as estrelas deveriam estar, era um mapa. E eu estava observando essas pessoas chegarem mais e mais perto de mim, onde as constelações deveriam estar. Eu acordei totalmente confusa. “

 

Apenas uma frase em suas letras tem tido a maior reação de seus pais. Talvez, não surpreendentemente, é quando ela canta “minha boceta tem gosto de Pepsi-Cola”.

“Meu pai achou ‘Cola‘ engraçada”, ela diz. “Minha mãe não achou tão engraçado.” A frase veio de um ex-namorado escocês que disse: “Ele estava falando sobre garotas americanas, sua visão das garotas americanas era que todas as suas bocetas tinham gosto de Pepsi-Cola, e que elas eram um sonho. Eu achei isso a porra da coisa mais engraçada que eu já ouvi. E eu pensei, ‘bem…’.”

 

Ela teve um longo relacionamento de idas e vindas com um executivo de gravadora, mas ele nunca lhe deu um contrato.

Eles se conheceram no começo de seus 20 anos, enquanto ela estava comprando seu primeiro álbum independente da gravadora. “Ele não era casado”, ela explica. “Era um caso de amor. Mas, quero dizer, eu o via de vez em quando por sete anos, e eu ainda sou próxima a ele. Ele é alguém que realmente influenciou o modo como eu via as coisas, apenas em termos de não ser capaz de ter o que eu queria. E apenas estando perto de uma vida que eu visualizei e amei. Não era um lance de carreira, era um lance de estilo de vida. Eu era apaixonada por ele e o que ele fazia, o que eu achava simplesmente simbólico pelo jeito que as coisas foram por tantos anos, ficando perto de algo que era tão lindo, mas nunca o bastante para ter isso.”

 

Ela é amiga de Juliette Lewis, a qual humilhou sua apresentação no SNL [Saturday Night Live].

“Eu era, na verdade, amiga dela antes disso, mas ela não sabia que era eu na TV”, ela diz. “Eu costumava ser mais loira antes ou coisa assim. Ela me ligou e ficou tipo. ‘Oh, me desculpa’. Mas nós superamos isso. Porque a verdade é que nós somos farinha do mesmo saco. No final das contas, nós achamos isso muito engraçado. “

 

Ela é muito por dentro sobre o cantor-compositor Father John Misty.

“Outro além de Cat Power, ele é minha grande inspiração do dia moderno. Eu simplesmente o amo muito”.

 

Ela gosta da ideia de Kanye West tocar em seu casamento algum dia em troca de ela ter cantado no dele.

“Isso seria incrível”, ela diz. “Eu deveria ter colocado isso no contrato”.

 

Por Brian Hiatt
Traduzido por Raphaella Paiva

Redação LDRA
Down on the west coast. They got a saying...
TOPO