‘Eu poderia nos ver naturalmente fazendo trilha sonora de filmes, e isso seria uma transição realmente confortável’, leia a tradução da entrevista feita pelo Just Jared

por / quarta-feira, 14 novembro 2012 / Publicado emEntrevistas

Just Jared

 

A cantora de 26 anos de idade se sentou com JustJared.com para uma entrevista exclusiva antes da sessão de performance acústica de sua nova música “Ride”.
Aqui está o que Lana compartilhou com JJ:

JJ: O quanto suas músicas são autobiográficas?
LDR: Elas são, eu diria, 90%. O que normalmente acontece é que todos os versos são sempre autobiográficos até o refrão. Eu normalmente deixo algum quarto pra minha imaginação adentrar. Se eu estou cantando sobre o jeito que as coisas costumavam ser, assim que eu chego no refrão eu posso começar a cantar sobre o jeito que queria que as coisas tivessem sido.

JJ: Você tem letras favoritas de qualquer uma de suas músicas que você fez?
LDR: Eu gosto da justaposição dos versos e o refrão em Born to Die. Eu gosto da ideia do verso “pés, não falhem agora, leve-me à linha de chegada”. Esse tipo de sentimento como a fúria da vida cotidiana e como as coisas podem ser difíceis, mas conforme eu chego no refrão eu canto “venha e caminhe pelo lado selvagem, deixe-me beijá-lo intensamente na chuva”. Eu sinto como se isso fosse os dois mundos de trevas e luz caminhando juntos. A fúria cotidiana, mas também sentir a rapidez dos momentos de felicidade e amor verdadeiro, e beijar na chuva.

JJ: O álbum já tem um próximo single?
LDR: Cola. Eu tenho um par de projetos de arte indo com as pessoas e eu realmente espero que eu possa entrelaçar Bel Air e Gods & Monsters em um curta-metragem.

JJ: Que tipo de projetos de arte?
LDR: Eu e Anthony Mandler ainda estamos trabalhando juntos, ainda conversando. Nós temos um projeto em mente, mas eu não tenho certeza se vamos fazer isso de fato. Nós podemos apenas fazer por conta própria e misturar a visão dela pro filme com minha música, e meio que criar um curta-metragem de vinte minutos.

JJ: Baseado nas novas canções do Paradise?
LDR: Na verdade baseado mais numa ideia que veio até nós, mas esperançosamente tecendo a música dentro disso e fazer ter sentido.

JJ: Qual o seu Top 5 de filmes?
LDR: Boa pergunta! Eu amo O Poderoso Chefão I & II. Eu gosto de Beleza Americana. Eu gosto de Don’t Look Back, um documentário sobre Bob Dylan do D.A. Pennebaker. Eu gosto de Sin City.

JJ: Qual a sua maior inspiração seja uma coisa, pessoa ou lugar?
LDR: Essa é boa. Minha própria imaginação, e minha própria visão do jeito que o meu futuro poderia parecer é inspirador pra mim. A paisagem da Califórnia, a energia de Nova York. O potencial que eu vejo em possíveis novas inovações tecnológicas avançadas que nnós fazemos dia a dia.

JJ: Qual a visão que você tem de si mesma?
LDR: Eu estou perto da visão que eu sempre tive, que é apenas ter sorte o suficiente pra ter tempo de transformar minha vida em uma obra de arte. Para esculpir minha vida do jeito que eu quero que pareça desde as pessoas que conheço até a música que eu faço e a arte que eu quero continuo tentando fazer, e o tempo com minha família. Eu me sinto em dia com a visão que eu tenho.

JJ: Desde que você realizou tanto na indústria da música, há outra indústria de entretenimento que você gostaria de explorar?
LDR: É a única coisa que eu realmente vou bem… O cara que eu compus o Paradise Edition não tem realmente trabalho na música pop, eles é compositor de filmes na Califórnia e ele é um dos meus mais velhos amigos. Eu poderia nos ver naturalmente fazendo trilha sonora de filmes, e isso seria uma transição realmente confortável. É bom estar em Los Angeles, é bom estar em casa, mas sair tarde da noite e trabalhar em pedaços que movem você para os filmes que você ama. Isso seria ótimo.

JJ: Você faria qualquer coisa de férias?
LDR: Será que eu fiz alguma coisa de férias? Isso provavelmente iria acabar por ser muito triste, então eu não sei. Eu posso não ser a melhor candidata de férias!

JJ: O que podemos esperar da Lana Del Rey em 2013?
LDR: Provavelmente apenas mais do mesmo. Eu realmente amo o Paradise Edtition, pra mim ele é ainda mais natural do que o original Born to Die. Eu realmente quero ficar nele. Eu estou indo em turnê com meu namorado [Barrie James O’Neill], eles está vindo comigo! Nós vamos fazer tour juntos por 70 dias na Europa. Estou animada pra isso.

JJ: Ele [Barrie] está trabalhando nisso também ou ele está apenas acompanhando você?
LDR: Ele está cantando. Sua banda, Kassidy, está indo para tocar. Então nós estamos indo pra Viena, Itália e, esperançosamente todos os nossos amigos virão também. Nós vamos ter uma caravana.

JJ: Qual a sua fotografia favorita que sua irmã [Cuck Grant] tirou?
LDR: Quando nós morávamos em Nova York, eu costumava comprar esses tanques de peixes elétricos numa loja, e nós costumávamos usá-los pra tirar fotos de mim na frente desse tanque. Minha unhas eram realmente longas na época e eu poderia pressionar contra o tanque e isso parecia louco. Nosso estilo começou a nos deselvolver juntas criativamente para meio que refletir nosso amor por estilos americanos antigos. Aonde quer que ela me levasse para trabalhar ela voltaria e lá haveriam flâmulas na casa e banners da loja de festa que ela odiava, mas isso começou esse estilo que eu comecei a inserir nos vídeos.

JJ: Qual é o lugar mais romântico no mundo pra você?
LDR: Eu não sei, eu sou muito romântica… então eu posso encontrar isso em muitos lugares. Eu amo dar longas caminhadas. Eu amo Califórnia, eu amo Nova York, e eu também amo Paris.

JJ: Qual é a coisa mais romântica que você fez pra alguém?
LDR: Quando eu conheci meu namorado… nós sempre dizemos que estávamos escrevendo um pro outro o tempo inteiro, mas nós não sabíamos disso até nos conhecermos. Então, você se sente como se, apesar de não conhecer a pessoa, todas as músicas eram pra ela agora. Isso é romântico.

JJ: Qual a música mais romântica pra você?
LDR: Eu amo essa canção de ninar que o Barrie escreveu, eu a acho linda. Eu tenho sido realmente abençoada por ter montes de romance em minha vida. É como meu pedido final.

JJ: Qual o melhor presente de fã que você recebeu?
LDR: Quando eu costumava ficar no Chateau Marmont, havia essa pequena criança que vinha e me fazia esse livro de sua própria versão das minhas capas de álbum, e ele misturava isso com tabloides dos anos 50 e 60. Então eu teria tipo essas prováveis capas de álbum que ele pensava que eu deveria fazer misturados com filme noir, clipes de jornais pop-art que eu pensava que eram ótimos.

JJ: Onde você coloca todos esses presentes de fãs?
LDR: Eu tenho uma caixa debaixo da minha cama!

JJ: Você tem algum momento mais constrangedor da turnê?
LDR: Da turnê? Há tantos momentos constrangedores! É como todos constrangidos porque é ao vivo. Nós compartilhamos muitos momentos pessoais juntos. Todos os meus vestidos são realmente curtos, e eu fico realmente perto do público… Eu não sei.

JJ: Qual foi a experiência mais surreal desde o estouro pra você?
LDR: Eu acho que sentir tão confortável em lugares como China, parece tão natural estar em Xangai ou estar em Cingapura e parece que eu tenho amigos lá. Eu diria que parece que você tem amigos onde quer que você vá é surreal quando você vem de uma cidade isolada. Isso realmente abre o mundo pra você.

JJ: Você tem alguma apresentação mais memorável?
LDR: Acredite ou não isso foi recentemente. Eu comecei a trabalhar com a Jaguar, e eu fui a Paris onde eles estavam inaugurando seu novo F-Type. Eu tive que caminhar esse tapete de 200 pés assim que uma tempestade parou nesse longo vestido branco, e meu amigo teve que me escoltar com um guarda-chuva todo o caminho até o microfone. Eu cheguei lá e cantei a música que eu tinha escrito pro novo carro deles, e eu disse que eu estava orgulhosa de Ian, que era o designer que fez o esboço do carro quando ele tinha sete e finalmente trouxe isso à vida tantos anos depois. Então eu terminei de cantar e esses dois carros esporte começaram a andar ao redor do palco e rugir e isso foi realmente elétrico. O público ficou louco pelos carros e as luzes e o som, e isso foi muito surreal. 

JJ: Você pode comentar sobre os rumores que você estava prestes a ser o novo rosto da Versace?
LDR: Eu tenho que ser honesta, eu não se de onde isso veio! Versace é um tipo que eu amo, mas… nós não estamos trabalhando nisso.

JJ: Vivo ou morto, há alguém que você não conheceu ainda que você amaria conhecer?
LDR: Há tantas pessoas que eu gostaria de conversar. Há tantas pessoas que eu gostaria apenas de me sentar. Eu gostaria de me sentar com Elvis e aquela equipe em Graceland.

JJ: Como você está passando a Ação de Graças?
LDR: Charlie, meu irmão, e eu, estamos indo pra algum lugar em Londres. Nós vamos apenas terminar de conversar sobre o álbum, então nós estaremos em Londres. Então pro Natal eu espero que possamos voltar pra cá e encontrar todo mundo.

 

Traduzido por Raphaella Paiva

Redação LDRA
Down on the west coast. They got a saying...
Tagged under:
TOPO